Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Maio 27, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Lançamento do II Livro do Colégio de São Fiel aconteceu em Louriçal do Campo

Lançamento do II Livro do Colégio de São Fiel aconteceu em Louriçal do Campo
José Lagiosa

O lançamento do II livro sobre o Colégio de São Fiel, “A Acção Socio- Educativa dos Jesuítas e o Colégio de São Fiel”, foi o mote para a palestra realizada, na Junta de Freguesia de Louriçal do Campo, no passado dia 10 de março.

A sessão contou com o apoio de diversas entidades e instituições, das quais se destacam o Instituto Politécnico e a Associação HISCULTEDUCA e a presença do vice-Presidente da Câmara Municipal e o presidente da Junta de Freguesia de Castelo Branco, para além do vice-Presidente da Real Associação da Beira Interior, João Manuel Própero dos Santos e do anfitrião, Pedro Serra, presidente da Junta de Freguesia de Louriçal do Campo.

Pedro Serra falou, da extrema importância dos edifícios da freguesia do Louriçal do Campo, tanto para a localidade, como para a região e o país, nomeadamente o antigo Colégio de São Fiel que ardeu em 15 de agosto de 2017.

O autarca referiu-se, igualmente, ao esquecimento do antigo Colégio de São Fiel por vários governos ao longo de vários anos.

Manuel Portugal, falou da importância da Cáritas Diocesana da Guarda, e do que a mesma tem feito em prole dos mais desfavorecidos de forma a terem uma vida mais digna.

Eugénio Fonseca, por seu turno abordou a importância da Cáritas a nível nacional como combatente contra a pobreza, dos valores espirituais humanos, nomeadamente a nível educativo das pessoas, a importância da edição de livros como apoio cultural e pedagógico para os portugueses.

José Alves, referiu a importância do Concelho de Castelo Branco ser representado por duas Dioceses e dois Bispos, lembrou os azares da localidade referindo aos incêndios no verão do ano anterior e agora as chuvas do final do inverno.

Lembrou a grande preparação e disciplina que os atletas de atletismo do antigo Colégio de São Fiel, tinham num passado recente ao competirem em provas da região.

Manuel Felício, falou do antigo Bispo de Beja – José Patrocínio Dias que se formou no Colégio de São Fiel, grande figura nacional.

Abordou o que poderá ser o Colégio de São Fiel, o caso da revista Brotéria ser uma solução de inspiração para uma possível unidade hoteleira.

Reforçou que a solução, para o Colégio de São Fiel e a Tapada da Renda, pode ser uma odeia criativa e deve ser de pertença da freguesia local.

António Trigueiros, falou do início da revista Brotéria no ano de 1902, revista fundada no Colégio de São Fiel que ainda hoje existe e que apenas no ano de 1911 fez um interregno nas publicações.

Era uma revista científica, mais tarde passou científica e cultural (1925) e atualmente apenas se trata de uma revista cultural (2002).

A importância do Colégio de São Fiel e Campolide entre 1863 e 1910

Dom João III ao saber do papel da Companhia de Jesus pediu que lhe enviassem sacerdotes da Ordem sendo que lhe foram enviados dois, São Francisco Xavier e Inácio Rodrigues.

As três expulsões dos Jesuítas de Portugal, por Marquês de Pombal, Joaquim António de Aguiar e a I república e os regressos da Companhia de Jesus.

O franciscano Frei Agostinho da Anunciação, natural do Louriçal do Campo foi o fundador do Colégio de São Fiel que se iniciou como orfanato. Santo Inácio de Loyola que fundou a Companhia de Jesus – Ordem dos Jesuítas.

No antigo Colégio de São Fiel havia um herbário com cerca de 5.000 espécies e observatório astronómico. Grandes personalidades da história de Portugal se formaram no Colégio de São Fiel, casos de Egas Moniz e Hintze Ribeiro.

Ernesto Candeias Martins, coautor de 2 livros sobre o Colégio de São Fiel, falou da nova reviravolta no ensino por parte dos Jesuítas, com acréscimo da física e da matemática.

A época turbulenta do Século XIX, com a família Real no Brasil, as invasões francesas e a guerra civil entre miguelistas e liberais.

O conceito de classe e de turma por parte dos Jesuítas, a importância de actividades físicas como a esgrima, equitação, educação física, higiene e o teatro (como actividade lúdica e cultural).

O colégio de São Fiel é intemporal de grande referência nacional e internacional. Às quintas-feiras não havia aulas, mas sim o contacto com a natureza ao fazerem recolhas e descobertas.

A criação da banda filarmónica em São Fiel. As salas bem equipadas e organizadas, com material de alta qualidade para a prática do estudo.

O método de ensino por parte dos Jesuítas com a Ration Studiorum, método regido e disciplinado que levou a maior parte dos alunos para o êxito.

 

Comentar