Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Agosto 20, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Maciço Central da Serra da Estrela já começou a ser ligado por fibra ótica de última geração

Maciço Central da Serra da Estrela já começou a ser ligado por fibra ótica de última geração
José Lagiosa

São seis concelhos e mais de 50 freguesias que irão ficar ligados através de fibra ótica da Altice Portugal, cujo lançamento foi hoje alvo de uma cerimónia de importante simbolismo.

Um investimento inédito, de vários milhões de euros, que já arrancou e que pretende dotar pessoas, empresas, instituições e entidades de infraestruturas onde nunca houve, permitindo o acesso destas populações a serviços de conectividade de excelência, algo que nunca tinha acontecido até aqui.

Ao alcance destas populações passam a estar as chamadas autoestradas da informação que chegarão a escolas, hospitais, unidades hoteleiras, empresas ou residências particulares, num verdadeiro projeto de interesse público.

“A atratividade dos territórios depende cada vez mais da sua conectividade”, destaca Almeida Henriques.

Para o vice-Presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses, “é essa conectividade que este investimento da Altice garante, reforçando a capacidade de fixar empresas e pessoas nesta zona do interior de Portugal”.

O projeto alarga a cobertura de fibra ótica da Altice Portugal nos concelhos de Seia, Covilhã, Manteigas, Gouveia, Fundão e Oliveira do Hospital para, em média, cerca de 75% do seu território.

Este investimento, na opinião dos vários autarcas destes concelhos, trata-se do maior investimento da década que, a partir do primeiro minuto da sua inauguração, muda o paradigma desta região, o contexto socioeconómico, através de claras vantagens de atratividade, de captação de investimento privado que, consigo, trará emprego.

A presidente da CCDR do Centro, Ana Abrunhosa destaca, “a forma diferente como a Altice Portugal olha para o território do país, como um todo, chegando mesmo a substituir-se ao Estado, como é o caso deste projeto de infraestruturação em fibra ótica de seis concelhos do Maciço Central da Serra da Estrela.”

Na cerimónia que marcou o início do deployment de Fibra Ótica de última geração, no Centro de Interpretação da Serra da Estrela, em Seia, estiveram várias centenas de pessoas.

Os autarcas dos seis concelhos que vão beneficiar da infraestruturação em fibra ótica fizeram questão de estar presentes e de evidenciar as vantagens para os seus municípios.

“Este será um benefício muito grande para o nosso concelho. A verdade é que as nossas crianças e jovens podem agora ter acesso às autoestradas da informação da mesma forma que um jovem em Lisboa, por exemplo. Mitigar as desigualdades começa na educação”, garante o presidente da Câmara Municipal de Seia.

Para Filipe Camelo este investimento da Altice Portugal terá ainda reflexos em muitos outros setores, como “no turismo, por exemplo, é fundamental garantirmos este tipo de serviços a que agora passaremos a ter acesso. A economia como um todo vai beneficiar muito desta insfraestruturação e agregado à economia vem a criação de emprego, que consideramos essencial para fixar as nossas populações aqui”.

Alexandre Fonseca presidente da Altice Portugal

Entre os convidados estiveram ainda um representante da Associação Nacional de Freguesias, a presidente da CCDR do Centro, presidentes de Juntas e Uniões de Freguesia, deputados municipais, empresários e associações empresariais da região, representantes da sociedade civil e do Turismo do Centro.

Hoje, nestas freguesias, as populações só podem usufruir deste tipo de serviços através da Altice Portugal, único operador que investe localmente.

Uma aposta da empresa que faz do investimento em zonas de baixa densidade populacional uma prioridade.

O presidente Executivo da Altice Portugal, Alexandre Fonseca, sublinha a estratégia da empresa para o interior do país, através do conceito de proximidade.

“A proximidade é para nós um dos vetores chave, já que é fundamental que, além dos investimentos que fazemos de uma perspetiva comercial, no âmbito da infraestruturação de fibra ótica estejamos próximos das regiões que por outros têm sido esquecidas. Na verdade, no próximo verão os nossos emigrantes, quando nos visitarem vão poder comunicar através de Banda Larga de Alto Débito, na sua terra, na sua aldeia, junto das suas gentes. Isto também é para eles!”, refere.

Alexandre Fonseca destaca que este tem sido um caminho seguido pela Altice Portugal de forma consistente, garantindo que a empresa “disse, diz e dirá sempre presente nos projetos que contribuam de forma inequívoca para o desenvolvimento económico e social do nosso país, nas suas mais variadas vertentes. A título de exemplo relevo o investimento recentemente decidido para o Data Center da Covilhã, os cerca de 80 postos de trabalho do Call Center de Oliveira do Hospital, bem como os mais de 200 postos de trabalho quer no concelho da Covilhã, quer da Guarda, quer de Castelo Branco, quer ainda de Viseu, totalizando assim perto de mil novos postos de trabalho num raio de 100 km”, garante o presidente Executivo da Altice Portugal.

A Altice Portugal prevê que este projeto venha a ser finalizado até agosto de 2018.

Comentar