7.8 C
Castelo Branco
Domingo, Março 7, 2021
No menu items!
Início Internacional Ministro da Defesa diz que "é dever de cidadania ter orgulho" nos...

Ministro da Defesa diz que "é dever de cidadania ter orgulho" nos militares portugueses

O ministro da Defesa Nacional, Azeredo Lopes, considerou hoje que “é quase um dever de cidadania ter orgulho” nos militares portugueses que partem em maio para o Afeganistão, para integrar uma missão da NATO.

“Começando, primeiro pelo orgulho, é quase um dever de cidadania que tenhamos orgulho nestes homens e nestas mulheres porque eles representam Portugal, representam Portugal no exterior e representam Portugal no exterior em missões e teatros de operações que são muito exigentes”, afirmou o ministro da Defesa Nacional, Azeredo Lopes.

O governante falava em Castelo Branco, onde presidiu à cerimónia de entrega do estandarte nacional à Força Nacional destacada (FND) que em maio parte para o Afeganistão, para integrar a missão da NATO, com a função de garantir a proteção do aeroporto internacional de Cabul.

Já com a cerimónia da entrega do estandarte perto do final

“Este é mais um teatro de operações exigente. E, passando agora à questão de avaliação do risco, naturalmente que isso foi tomado em consideração. É uma missão difícil pela própria circunstância do espaço geopolítico e do país de que estamos a falar que é o Afeganistão, mas também se procurou que, na medida do possível, a natureza da força fosse adaptada ao risco que nós considerávamos aceitável”, disse.

Azeredo Lopes explicou que foi feita uma análise das circunstâncias e das ações violentas que ocorreram nos últimos tempos no teatro de operações que espera os militares portugueses para este tipo de missão.

“Isso deixou-nos relativamente confortáveis quer, evidentemente, quanto à exigência que se mantém da operação, quer quanto à capacidade destes militares desempenharem com valor e brio esta missão, quer, finalmente e não é menos importante isso, definir os padrões de risco que são aceitáveis para nós”, frisou.

Durante a cerimónia a que presidiu, o ministro disse não ter imaginação bastante para compreender profundamente o significado que deve ter para um militar o estandarte nacional.

“Não tenho também eloquência que me torne capaz de dizer da importância que tem e a honra que é para mim, presidir à cerimónia da sua entrega. E deste estandarte a estes militares, muito em particular”, frisou.

O governante sublinhou que o estandarte nacional entregue aos militares que partem em maio para o Afeganistão, atesta o compromisso de Portugal com a NATO, “sempre reafirmado por este Governo e peça essencial na segurança coletiva e na defesa da Europa”.

“Este estandarte a estes militares, assinala o inicio de uma missão que está em coerência com a política externa do nosso país”, concluiu.

As tropas preparadas para desfilar perante as autoridades presentes

Já o chefe do Estado Maior do Exército (CEME), general Rovisco Duarte, realçou que o ramo deve ter qualidade e estar ao serviço de Portugal e dos portugueses.

“Hoje é irrefutável que a segurança dos povos, não se confina, apenas, às suas fronteiras tradicionais, mas sim a fronteiras alargadas, em quadros cooperativos e de solidariedade internacional”, disse.

O CEME explicou ainda que a segurança cooperativa é um conceito definitivamente assumido por todas as nações, como plataforma essencial para a prevenção, contenção e erradicação de conflitos.

“Damos hoje continuidade, com esta nova força expedicionária, a um processo iniciado há mais de duas décadas, momento a partir do qual, Portugal passou a disponibilizar contributos militares mais efetivos para a segurança e a paz no mundo, sob a égide das organizações internacionais de que é membro”, frisou.

Disse ainda que passados alguns anos, os militares portugueses voltam ao teatro de operações do Afeganistão, onde o exército, no período de 2002 a 2014, deu um contributo significativo para a segurança do povo afegão, um esforço onde estiveram envolvidos cerca de dois mil militares.

A Força Nacional Destacada (FND) é constituída por 146 militares do Exército e parte no dia 7 de maio para o Afeganistão. Para integrar uma missão da NATO, com a função de garantir a proteção do aeroporto internacional de Cabul.

*Lusa / Fotos: beiranews.pt

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: