10 C
Castelo Branco
Domingo, Março 7, 2021
No menu items!
Início Cultura Museu Nacional de Arte Antiga abre portas no Dia do Amigo a...

Museu Nacional de Arte Antiga abre portas no Dia do Amigo a 27 de abril

O Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA), em Lisboa, vai celebrar o Dia do Amigo, a 27 de abril, com uma visita guiada e um concerto, com entrada livre, no âmbito do 106.º aniversário do Grupo de Amigos.

De acordo com o museu, o programa, que pretende divulgar a atividade do Grupo de Amigos do MNAA, o mais antigo do país, criado há mais de cem anos, inclui uma visita guiada à recentemente adquirida pintura do artista português do século XV Álvaro Pires de Évora, “A Anunciação”.
O quadro foi adquirido pelo Estado, num leilão, em Nova Iorque, em fevereiro, por 280 mil euros, tornando-se a primeira obra deste artista a entrar na coleção daquela entidade, e foi colocada na mesma sala dos Painéis de São Vicente, atribuídos a Nuno Gonçalves.
A pintura foi comprada por 350 mil dólares (280 mil euros), num leilão da Sotheby’s, em Nova Iorque, em fevereiro, também com o apoio do Grupo dos Amigos do MNAA, e passou a estar em exposição permanente no museu.
No âmbito da celebração, está previsto um concerto com o Quarteto Jovem de Lisboa, cujo repertório abrange peças desde o barroco até à atualidade, e que nesta data irá interpretar obras de Mozart, Bocherini, Bach, Strauss, Shostakovitch, e Gardel.
O grupo reúne Beatriz Saglimbeni e Miguel Vaz nos violinos, Beatriz Acosta na viola de arco, e Marta Nabeiro no violoncelo.
Criado em 1884, o MNAA acolhe a mais relevante coleção pública de arte antiga do país, de pintura, escultura, artes decorativas portuguesas, europeias e da expansão marítima portuguesa, desde a Idade Média até ao século XIX, e é um dos museus com maior número de obras classificadas como tesouros nacionais.
Além dos Painéis de São Vicente, de Nuno Gonçalves, o acervo integra ainda, entre outros tesouros, a Custódia de Belém, de Gil Vicente, mandada lavrar por Manuel I, datada de 1506, e Biombos Namban, do final do século XVI, que registam a presença dos portugueses no Japão.
Hieronymous Bosch, Albrecht Dürer, Piero della Francesa, Hans Holbein, o Velho, Pieter Bruegel, o jovem, Pieter de Hooch, Lucas Cranach, Hans Memling, Jan Steen, van Dyck, Giordano, Zurbarán, Murillo, Ribera, Poussin, Tiepolo, Fragonard apenas são alguns dos mestres europeus representados na coleção do MNAA.
*Lusa / Foto: MadreMedia

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: