24.4 C
Castelo Branco
Segunda-feira, Setembro 21, 2020
No menu items!
Início Internacional Ponto de Vista... por António Justo

Ponto de Vista… por António Justo

Macron quer a reforma da União Europeia que os países nórdicos não querem

Criação de FME (Fundo Monetário Europeu para a área do euro)

O presidente francês, defendeu, no Parlamento Europeu e no encontro com Merkel, a necessidade de reformar a EU, repetindo, para tal, as exigências que a EU já se colocava em 2012, mas que a constelação mais poderosa da EU ignorou até agora. Agora sem o Reino Unido na balança tentam-se novos centros com um pouco de mais poder para o Sul e que se nota na presença acentuada da França no palco europeu.

António Justo

Macron diz “não quero pertencer a uma geração de sonâmbulos”. Quer a criação de um orçamento da EU para toda a zona do euro, quer a união dos bancos e uma “capacidade orçamentária que exige estabilidade e convergência na zona do euro”.
A criação de um fundo monetário (FME) para a área do euro pressuporia muita solidariedade.
Ângela Merkel só verá a possibilidade de se transformar o MEE (Mecanismo Europeu de Estabilidade – “guarda-chuva do euro”, atualmente com 500 bilhões de euros e que evita que devedores paguem juros elevados) num fundo monetário europeu (FME), se houver mudanças nos acordos da EU. (Isto, em texto claro, significa que as economias mais ricas do Norte terão de ficar com poder assegurado nas decisões sobre o destino dos dinheiros que disponibiliza).
Para Merkel “O FME (Fundo Monetário Europeu) deve ser uma instituição dos Estados parceiros e, ao contrário de Macron, não quer que se torne numa outra instituição da UE sobre a qual a Comissão da UE (Bruxelas) poderia ter uma influência decisiva”(cf. HNA 18.04). À imagem do FMI, o FME teria dinheiro para países em crise e poderia desenvolver activamente países atrasados com recursos financeiros e trazê-los para o nível da EU mais cotada.
Com a criação do FME seria o começo de uma união de transferência mais fluente de dinheiros do Norte para o Sul. O MEE depende atualmente dos ministros das finanças dos países da zona euro e os países do Norte receiam que com o FME quem disporia sobre os bilhões de euros seria a Comissão da EU e neste caso os estados doadores pouco ou nada teriam a dizer.
A Alemanha quer que os parlamentos dos países que alimentam o FME possam decidir sobre o destino das finanças. A Alemanha e outros países têm medo que a Comissão disponibilize então dinheiros sem os ligar a condições de reformas políticas e democráticas (Doutrina do antigo ministro das finanças Wolfgang Schäuble que não queria ver o poder de distribuição de dinheiro fora das mãos dos ministros das finanças). Os poupadores alemães têm medo de terem de pagar para bancos com dificuldades noutros países da EU. A Alemanha quer que os bancos e os estados sejam primeiramente reabilitados para não se entrar numa situação de alimentação permanente de uns bancos pelos outros. Por isso o governo alemão evita falar de um ministro do Euro e de uma Zona orçamental para o Euro. Em questões de finanças os países do Norte querem manter o leme na mão para que não se passe a uma comunitarização das dívidas.
A europa na deve voltar ao nacionalismo, mas também não pode tornar-se num clube de ricos e com os seus pobres; seria mais óbvio acentuar o regionalismo, com uma democracia a partir da base, das regiões e dos povos. Só assim se poderiam ganhar os povos da Europa para a União Europeia, doutro modo continuará a ser imposta. O incremento das regiões seria também uma maneira inteligente de não alimentar tensões nacionalistas.

António Da Cunha Duarte Justo
Pegadas do Tempo, http://antonio-justo.eu/?p=4764

 

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

Museu Nacional Ferroviário nomeado para o Prémio Nacional de Turismo

O Museu Nacional Ferroviário foi nomeado para participação no Prémio Nacional de Turismo 2020 por membros do respetivo Comité de avaliação.

Amato Lusitano – Associação de Desenvolvimento promove Social IN Summit

Será já nos próximos dias 29 e 30 de setembro que arranca mais uma edição da “Feira Social IN” – Feira de...

Termas Centro Classic Cars deu as boas vindas ao outono

Dezenas de carros clássicos e desportivos, de Portugal e Espanha, passaram três dias relaxantes a descobrir as termas da região Centro.

LIVRE: Defender a Democracia é defender a paz

Todos os anos, no dia 21 de setembro, celebra-se o Dia Internacional da Paz, afirmando a necessidade da humanidade fazer tudo o que...

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: