19.9 C
Castelo Branco
Sexta-feira, Junho 18, 2021
No menu items!
InícioCulturaPedro Mexia apresenta Denudata de Gonçalo Salvado este domingo

Pedro Mexia apresenta Denudata de Gonçalo Salvado este domingo

Casa Amarela – Galeria Municipal (Antigos CTT)

DENUDATA, livro de poesia de Gonçalo Salvado, ilustrado com desenhos inéditos  do escultor Francisco Simões e fotografias de Manuel Magalhães, figura cimeira da fotografia em Portugal (RVJ Editores)  será apresentado por Pedro Mexia e Maria João Fernandes a 1 de Julho (domingo) de 2018, pelas 18h 00 na Casa Amarela – Galeria Municipal.
A sessão marca o encerramento da exposição Amor Única Chama, de esculturas, cerâmicas e desenhos de Francisco Simões e contará com a presença do artista e do presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco, Luís Correia.
A obra conta com um prefácio do poeta brasileiro Carlos Nejar, recentemente nomeado para o Prémio Nobel da Literatura, e um texto de abertura de Maria João Fernandes.

Pedro Mexia apresenta o livro

“A poesia de Gonçalo Salvado, que se singulariza em grandeza na nova poesia portuguesa, com vários livros, agora mais ainda em Denudata, não se volta apenas ao amor como tema, ou busca, ou obsessão, é desnudez da linguagem, sede se despindo em corpo e corpo que se perfaz em alma.  Pois se o corpo é luz, o firmamento sabe ser a perfeição do encontro. Num estado de êxtase, sendo esse mesmo corpo, uva, vinho no lagar dos sentidos. Há um fulgor terrestre nos poemas, com a travessia da luz, atrás de um caráter de epiderme, pele, plangente tocar da matéria , como  se  o  hálito, entre sopro e ardor, arrastassem ao paraíso. O palpável no impalpável, o tangível no intangível. Transformando, camoneamente,  “o amador na coisa amada”. Não só pelo ato de muito  imaginar, mas bem maior, de ser”, lê-se no prefácio de Carlos Nejar.
Por seu turno, Pedro Mexia escreveu, acerca da poesia de Gonçalo Salvado:
“Gonçalo Salvado insere-se na tradição mais rica da poesia portuguesa que é também a mais exigente: a tradição do lirismo amoroso (…) numa fecunda linha de erotismo casto que tem o seu expoente máximo no Cântico dos Cânticos. (…) Este percurso ao mesmo tempo genuinamente vivencial e rigorosamente poético, vive do fulgor que se atinge pela brevidade, pela dispersão e que traduz, sem sentimentalismo meramente retórico, um total empenhamento amoroso”.
Refira-se que Gonçalo Salvado (n. 1967), autor de 14 livros de poesía, tem vindo a desenvolver uma poesia sob o signo do amor e do erotismo que lhe mereceu em 2013 o  Prémio Sophia de Mello Breyner Andresen atribuído pela União Brasileira de Escritores do Rio de Janeiro pelo conjunto da sua obra poética.
Cartaz da apresesentação do livro de Gonçalo Salvado

A sua colaboração com a Câmara Municipal de Castelo Branco, cidade onde decorreu a sua juventude, passou por uma exposição bibliográfica, a primeira efectuada em Portugal e no Brasil sobre o Cântico dos Cânticos, o poema de amor incluído da Bíblia, referência e inspiração fundamental do seu trabalho, da qual o Beiranews deu a respetiva cobertura.
O seu último livro de poesía, Denudata, editada pela RVJ Editores recebeu o apoio justamente da Câmara Municipal de Castelo Branco.
 

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: