Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Outubro 19, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Inaugurado jardim com oliveiras da Bequerença na Base Naval de Lisboa

Inaugurado jardim com oliveiras da Bequerença na Base Naval de Lisboa
José Lagiosa

Dezenas de benqueridos compareceram ao convívio anual daquela freguesia na Base Naval de Lisboa. Durante o evento, foi inaugurado um jardim com oliveiras da Benquerença naquele espaço

Foi inaugurado um jardim com oliveiras oriundas da Benquerença, em frente à Capela da Base Naval de Lisboa (BNL), localizada no Alfeite, em Almada.

Para já, são 21 oliveiras cedidas pelo benquerido Álvaro Silveiro mas, segundo os responsáveis da Marinha, no futuro vão ser mais.

Esta inauguração decorreu no âmbito do convívio da Benquerença, que se realiza desde o final da década de 90 naquele espaço, devido às ligações da freguesia com a Marinha, já que esta é a aldeia portuguesa, que cedeu mais marinheiros, àquele ramo das Forças Armadas nacionais.

Este convívio remonta a tempos ainda mais remotos, quando se realizava em Monsanto, tendo sido interrompido por vários anos até ser reativado na década de 90, altura desde a qual tem sido realizado ininterruptamente.

Oliveiras da Benquerença plantadas na Base Naval de Lisboa

Durante a cerimónia, foi ainda oferecida uma réplica de Nossa Senhora do Mar à comunidade da Benquerença, pelo capelão da BNL.

À chegada os participantes foram recebidos pelos representantes da Marinha, tendo depois visitado o Palácio do Alfeite, antiga morada do Rei D. Carlos. Seguiu-se um almoço, que reuniu dezenas de benqueridos e o convívio entre os presentes.

Para o Comandante da BNL, Proença Mendes, a ligação da Benquerença à Marinha é, em primeiro lugar, humana, tendo depois se materializado em dois monumentos de homenagens àqueles militares na freguesia.

“É um orgulho para a Marinha ter agora as oliveiras da Benquerença e estou muito contente por esta relação entre a Marinha e a Benquerença, que é para continuar”, disse.

Já o presidente da Junta de Freguesia de Benquerença, Álvaro Gil Leitão, elogiou a “união das gentes da terra”, adiantando que tem a pretensão de ter um terceiro monumento na freguesia que lidera.

Por fim, o presidente do Município de Penamacor, António Luís Beites, ressalvou o valor simbólico das oliveiras ali plantadas, de que todos os benqueridos terão orgulho.

“Espero que esta ligação e este convívio entre a Marinha e a Benquerença permaneça por muitos anos”, rematou.

Comentar