Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

BeiraNews | Outubro 22, 2018

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

A Volta a Portugal em bicicleta 2018 termina hoje e vai deixar saudades

A Volta a Portugal em bicicleta 2018 termina hoje e vai deixar saudades
José Lagiosa

Conclui-se hoje a 8ª edição da Volta a Portugal em Bicicleta com um contra relógio em Fafe.

Esta foi uma edição que apesar de uma ou outra polémica sobre decisões da organização, vai deixar saudades, no plano desportivo.

José Lagiosa

Atrevo-me a dizer que o vencedor, salvo algum percalço, vai ser o espanhol da equipa W52/FC Porto, Raúl Alarcón, depois da demonstração da sua inegável superioridade no sábado, no Alto da Senhora da Graça.

O contra relógio de hoje, em Fafe, vai ter um percurso inédito, e espera-se possa, para além da consagração de Alarcón, ser um momento de grande espetáculo, na mais antiga prova velocipédica por etapas.

A organização tem sabido reinventar a prova, sujeita a limitações de dias e quilómetros, com alterações de percurso anuais, que têm garantido a chegada a muitos lugares deste país, lembre-se que este ano regressou, ainda que rapidamente, ao Algarve, e falhou cidades emblemáticas ao longo dos anos, como o caso de Castelo Branco, mas a solidariedade com as vítimas e os municípios afetados pelo incêndios de 2017, assim impuseram.

Esperemos que da parte da autarquia albicastrense e da organização da Volta, permita já em 2019, o regresso à cidade albicastrense.

Este mês de Agosto não é o mesmo, sem a Volta, disso temos a certeza. Pela tradição que o ciclismo tem na cidade, pelo gosto dos cidadãos desta região pela modalidade e pelo carinho com que a prova e os seus intérpretes, são sempre bem recebidos por cá.

Mas voltemos ao essencial. A prova, os seus intérpretes e o seu desempenho desportivo.

A Volta 2018 foi emotiva, bem disputada e tudo indica, vai ter, no final da tarde de hoje, um vencedor anunciado, a nível individual, que demonstrou, sem margem para dúvidas que merece a repetição da vitória, após a conquista da prova, igualmente em 2017.

Raúl Alarcón demonstrou ter-se preparado muito bem para esta edição da Volta, foi forte quando teve de o ser e inequivocamente, não deixou margem para dúvidas à concorrência, impondo a sua categoria e classe, no momento certo para o fazer, nomeadamente na mítica, Senhora da Graça.

Resta agora demonstrar que o avanço sobre a concorrência mais próxima lhe vai chegar hoje para garantir a vitória final.

Um minuto, mais coisa menos coisa, é a vantagem de Alarcón sobre os mais diretos concorrentes.

Saber gerir este avanço, num contra relógio individual, relativamente curto e de características com algumas inovações é afinal de contas o grande desafio do espanhol da W52/FC Porto, mas que nos parece perfeitamente ao seu alcance.

Seria necessário, uma conjugação de fatores para que o desfecho final fosse outro.

E estamos em crer que nada irá retirar a brilhante vitória ao espanhol.

*José Lagiosa, diretor do beiranews.pt

 

 

 

Comentar