Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Novembro 16, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Presidente moçambicano inaugura nova central termoelétrica em Maputo

Presidente moçambicano inaugura nova central termoelétrica em Maputo
José Lagiosa

O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, inaugurou hoje uma nova central termoelétrica que vai gerar 106 megawatts de energia para alimentar as cidades de Maputo e Matola.

A central faz parte das ações visando aumentar a disponibilidade de energia elétrica fiável, através da modernização e expansão do parque produtor, trazendo mais-valia”, disse o chefe de Estado moçambicano durante o evento de inauguração.

A infraestrutura, orçada em 180 mil dólares (155 mil euros), resulta de um financiamento da Agência Japonesa de Desenvolvimento de 167 mil dólares (143 mil euros) com um período de pagamento de 40 anos, cabendo ao Governo participar com os restantes 13 mil dólares (11 mil euros).

O apoio japonês incluiu, para além da construção da central, a formação dos quadros da EDM na operação e manutenção, bem como seis anos de serviços de manutenção a ser feita pelo fabricante do equipamento.

A central é também a primeira termoelétrica de ciclo combinado no país, assegurando o uso mais eficiente do gás natural explorado em Moçambique, segundo o chefe de Estado moçambicano.

“É um grande orgulho para Moçambique e para a EDM, esta central faz parte de um pequeno grupo de centros geradores que usam a tecnologia de ciclo combinado na região Austral de África”, acrescentou Filipe Nyusi.

A central está pronta para entrar em operação e será operada por um grupo de cerca de 68 pessoas recrutadas e treinados em Moçambique e no Japão.

A Central Termoelétrica de Maputo, combinada com a recente reabilitação das centrais Hidroelétricas de Mavuzi e Chicamba, na província de Manica, e a construção da Central Fotovoltaica de Mocuba, na Zambézia, contribuirá para a diversificação da matriz energética e o aumento em 150% da capacidade de geração própria da EDM, segundo dados oficiais.

*Lusa / Foto: ANTÓNIO SILVA

Comentar