12.8 C
Castelo Branco
Sábado, Fevereiro 4, 2023
No menu items!
InícioNacionalOrganização do protesto dos taxistas contabiliza mais de 1.300 carros em Lisboa

Organização do protesto dos taxistas contabiliza mais de 1.300 carros em Lisboa

O protesto dos taxistas contra a entrada em vigor da lei das plataformas eletrónicas de transporte em veículos descaracterizados cresceu hoje, ao segundo dia de protesto, com mais de 1.300 carros parados em Lisboa, segundo a organização.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Federação Portuguesa do Táxi, Carlos Ramos, referiu que em Lisboa estão “mais de 1.300 taxistas, um número superior ao de ontem [quarta-feira]”, num universo de 3.400 que operam na capital.

Segundo o responsável, também no Porto o número de táxis que aderiu ao protesto é superior ao de quarta-feira pela mesma hora: “Encontram-se por lá mais de 200 carros”, acrescentando que em Faro já se juntaram, na Estrada Nacional 125-10, 250 viaturas.

De acordo com Carlos Ramos, os táxis em Lisboa já se encontram no cruzamento da Avenida da República com a Avenida Elias Garcia.

As viaturas mantêm-se estacionadas na faixa ‘bus’, a maioria deles vazios, nos dois sentidos da Avenida da Liberdade. Os taxistas não puderam ocupar a rotunda do Marquês de Pombal, retomando o aparcamento no sentido descendente da Avenida Fontes Pereira de Melo.

Cerca de 30 horas após o início do protesto, os taxistas não pensam em desistir da luta, mesmo depois de o eixo central da Avenida da Liberdade, que estava cortado desde as 05:00 de quarta-feira, ter sido hoje reaberto às 07:30 pela PSP.

Em declarações à agência Lusa, Carlos Ramos considerou que a reabertura do eixo central da Avenida da Liberdade é uma provocação e uma alteração das condições que tinham ficado estabelecidas anteriormente.

Carlos Ramos pediu aos taxistas que tenham calma e que mantenham a postura que têm tido até agora.

Os taxistas manifestam-se contra a entrada em vigor, em 01 de novembro, da lei que regula as quatro plataformas eletrónicas de transporte que operam em Portugal (TVDE) – Uber, Taxify, Cabify e Chauffeur Privé -, diploma promulgado pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, em 31 de julho.

Na quarta-feira os representantes as duas entidades representativas dos táxis reuniram-se com os grupos parlamentares para travar a lei que regulamenta as TVDE, como a Uber e a Cabify, mas na falta de respostas positivas às reivindicações decidiram prolongar o protesto.

Os dirigentes da Federação Portuguesa do Táxi e da Associação Nacional de Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL) voltaram pelas 19:00 de quarta-feira aos Restauradores para apelar aos manifestantes para não desmobilizarem, uma vez que as reivindicações não tinham sido satisfeitas no parlamento.

*Lusa / Foto: TIAGO PETINGA

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: