Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

BeiraNews | Novembro 21, 2018

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

CCV da Floresta vai ter charco movido a energia solar

CCV da Floresta vai ter charco movido a energia solar
José Lagiosa

O Centro Ciência Viva da Floresta (CCV da Floresta) vai ter um charco movido a energia solar, através da reconversão do ecossistema de água doce parada já existente, criando assim um novo polo de atração para os visitantes.

O projeto CHARCOcomSOL2 – “Charco Movido a Energia Solar (Fotossintética e Fotovoltaica)” é uma das duas candidaturas submetidas e aprovadas ao Fundo Ambiental, integrado na Estratégia Nacional de Educação Ambiental 2020, e cujo contrato foi assinado dia 28 de agosto em Lisboa.

De acordo com Edite Fernandes, diretora executiva do CCV da Floresta, “com estes projetos prevê-se a criação de um novo espaço expositivo e a melhoria dos espaços já existentes com o objetivo de atrair mais visitantes”.

Ambas as candidaturas, que serão executadas até ao final deste ano, têm um cariz educativo, tendo como objetivo a sensibilização da comunidade rumo à adoção de práticas mais sustentáveis, no uso eficiente da água e no recurso a formas de energia mais limpas, como a solar fotovoltaica, em alternativa aos combustíveis fósseis.

O CHARCOcomSOL2 envolverá a identificação da fauna e flora do Charco, remoção da biodiversidade exótica/invasora e a colonização com espécies autóctones.

Ao mesmo tempo, no espaço envolvente, será preparado um sistema solar fotovoltaico de arejamento da água, valorizando este ecossistema e promovendo a utilização dos recursos naturais.

Estão ainda previstas um conjunto de ações de sensibilização e a construção de novos módulos de exterior que irão permitir aos visitantes descobrir a vida existente neste recurso de água doce parada.
O GPFloresta – “Gerindo e Protegendo a nossa Floresta”, a segunda candidatura submetida ao Fundo Ambiental já aprovada, entre outras ações, prevê a recuperação e conversão de uma carrinha-museu de pronto-socorro em espaço pedagógico para pequenos grupos. Esta carrinha-museu de pronto-socorro durante anos serviu de carro de combate a incêndios florestais.

Este projeto propõe também a dinamização de ações e a construção de ferramentas inovadoras e de impacto reconhecido no domínio da educação ambiental, preservação e proteção das florestas e formação da comunidade para cenários de risco, em particular de incêndios rurais, em colaboração com os Bombeiros Voluntários de Proença-a-Nova.

O CCV da Floresta irá ainda participar no Fundo Ambiental Educação + Sustentável: Repensar Rios e Ribeiras, denominada Rio Acima, elaborada pela Agência Nacional Ciência Viva, estando prevista a realização de três percursos interpretativos em ecossistemas de rios ou ribeiras e de três ações de limpeza, com o objetivo de sensibilizar sobre a importância dos ecossistemas de água doce, e alertar quer para as ameaças aos ecossistemas, quer para a necessidade de valorizar o território.

 

 

 

 

 

Comentar