Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Setembro 20, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Fogo em zona de mato na serra de Sintra

Fogo em zona de mato na serra de Sintra
José Lagiosa

Um incêndio deflagrou hoje à noite, cerca das 22:50, na zona da Peninha, na serra de Sintra, e está a ser combatido por quatro dezenas de bombeiros, informou fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Lisboa.

Está neste momento ativo um incêndio de grandes proporções numa zona de mato cerrado, junto ao Convento da Peninha, em Sintra, disse ao Observador fonte do destacamento territorial da GNR de Sintra.

O incêndio deflagrou por volta das 22h50, numa zona sem populações próximas, e está a ser combatido por 229 bombeiros, apoiados por 74 veículos, indica o site da Proteção Civil.

O destacamento da GNR em Sintra já contactou o Comando Distrital de Operações de Socorro de Lisboa, tendo enviado para a zona do incêndio uma patrulha de dois homens, proveniente de Colares.

Segundo o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, a Capela de Nossa Senhora da Penha ou Santuário da Peninha “é um edifício situado numa elevação da Serra da Sintra, na freguesia de Colares, no concelho de Sintra, em Portugal. Foi edificada no fim do século XVII por Frei Pedro da Conceição”.

O fogo deflagrará assim “no extremo oeste da Serra de Sintra, sobranceiro ao cabo da Roca”.

Este é um dos dois incêndios em curso de momento no país e aquele que tem uma dimensão mais preocupante.

Horas antes do início deste incêndio, o comandante operacional da Proteção Civil Pedro Nunes tinha reafirmado que o risco de incêndio vai manter-se elevado em todos os distritos até ao dia 10 de outubro. Já na sexta-feira tinha dado conta dos mesmos receios da entidade.

“Para os próximos dias, podemos esperar condições meteorológicas muito idênticas aquelas que temos vindo a observar desde dia 1, ou seja, um tempo seco, com bastante vento, moderado a forte, com especial incidência nas terras altas.

A humidade relativa vai permanecer extremamente baixa, quer no período diurno quer no período noturno”, afirmou.

*Lusa / Foto: MIGUEL PEREIRA DA SILVA

Comentar