Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Outubro 15, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Cerimónia Nacional do Dia Mundial em Memória das Vítimas da Estrada decorre em Castelo Branco dia 18

Cerimónia Nacional do Dia Mundial em Memória das Vítimas da Estrada decorre em Castelo Branco dia 18
José Lagiosa

Auditório da Biblioteca Municipal de Castelo Branco

A Liga de Associações Estrada Viva, a Associação de Motociclistas Cristãos de Portugal (CMA Portugal – núcleo de Castelo Branco) e os seus parceiros nesta iniciativa, vão celebrar o Dia Mundial em Memória das Vítimas da Estrada 2018, que se assinalará este ano no próximo dia 18 de Novembro (3º domingo do mês), em Castelo Branco, entre as 11h e as 17h.

O Programa é dividido em duas partes: a Sessão Solene (1ª parte) entre as 11h e as 13h e uma 2ª parte constituída pelo simulacro, demonstração de suporte básico de vida e pelo Colóquio “Para Finais Felizes na Estrada” entre as 14h30m e as 17h.

A cerimónia deste ano é organizada em colaboração com a Câmara Municipal de Castelo Branco, com o apoio da Fundação MAPFRE, e da Tabela de Decisão, Consultoria, Lda.

Na Sessão Solene, existirá um tempo dedicado a testemunhos de sobreviventes, familiares e amigos de vítimas da estrada que queiram contar a sua história ou fazer a sua homenagem aos seus entes queridos, com a leitura de um poema ou texto, por exemplo.

Caso queira prestar o seu testemunho (até 5 min.) na Sessão Solene, inscreva-se pelo e-mail estradaviva@gmail.com ou veja como gravar previamente o seu testemunho em estradaviva.org (até dia 15/11).

O Colóquio “Para Finais Felizes na Estrada” conta com a participação de vários especialistas na área da prevenção do trauma rodoviário e redução do risco rodoviário, investigação de desastres rodoviários, mobilidade sustentável, segurança infantil e cuidados pós-trauma (inscrições gratuitas AQUI para garantir o seu lugar).

O Dia da Memória tem este ano como tema internacional “A estrada conta histórias. Nem todas têm um final feliz”, tema da campanha internacional criada pela FEVR – Federação Europeia de Vítimas da Estrada, e pela Aliança Global de ONG pela Segurança Rodoviária, e que marca o 25º aniversário desta celebração.

Nos 25 anos de celebração deste Dia Mundial, mais de 30 milhões de pessoas perderam as suas vidas nas ruas e estradas de todo o mundo e mais de mil milhões ficaram feridos ou incapacitados.

Desde 1 de Janeiro até dia 7 de Novembro, perderam a vida nas estradas portuguesas 429 pessoas (sem contar com as mortes a 30 dias) e 1773 ficaram gravemente feridas.

O espírito desta celebração é de que a evocação pública da memória daqueles que perderam a vida e a saúde nas estradas e ruas portuguesas significa um reconhecimento, por parte do Estado e da sociedade, da trágica dimensão da sinistralidade, e ajuda os sobreviventes a conviver com o trauma de memórias dolorosas resultantes de desastres rodoviários.

A morte e lesão por desastre de viação são ocorrências repentinas, violentas e traumáticas, e o seu impacto duradouro, quase sempre permanente.

A cada ano, milhões de enlutados e vítimas de todo o planeta juntam-se aos muitos milhões que já sofrem em resultado de desastres de viação.

O Dia da Memória responde, assim, à intensa necessidade sentida pelas vítimas e seus entes queridos de verem a sua perda e a sua dor publicamente reconhecidas.

Presta também homenagem às equipas de emergência, à polícia, aos profissionais médicos e outros que diariamente lidam com as consequências traumáticas da sinistralidade.

 

Comentar