Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Maio 30, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Jaime Reis, docente na ESART-IPCB, foi o único português a ganhar o prémio Russolo

Jaime Reis, docente na ESART-IPCB, foi o único português a ganhar o prémio Russolo
José Lagiosa

Jaime Reis, docente da Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco foi o único português a ganhar o prémio Russolo, um dos mais prestigiados na área da composição de música eletroacústica, na sua edição de 2018.

A competição contou com 138 participantes, dos quais apenas 7 chegaram à etapa final.

Os sete irão agora realizar concertos em várias cidades, Lisboa incluída, numa digressão que começou em Belfast.

Decorrerão agora durante os próximos meses concertos e sessões de escuta em Annecy, Atenas, Belfast, Genebra, Moscovo, Osaka, Paris e Praga onde se poderão ouvir as obras vencedoras do prémio.

Jaime Reis

Os sete vencedores atuaram em Praga, passando depois por Genebra, Suíça, Lisboa, 21 de novembro, Valência, Espanha, a 24 de novembro, Hyogo, Japão, a 01 de dezembro, Annecym França, a 16 de dezembro, Atenas, a 23 de fevereiro, Paris, a 09 de março, e Moscovo a 29 de março.

O docente da ESART-IPCB e compositor é também fundador do festival itinerante DME (Dias de Música Eletroacústica), cuja primeira edição decorreu em 2003, na Polónia e foi, em novembro, finalista na competição Métamorphoses, em Bruxelas.

O prémio Russolo foi criado em 1979 em homenagem ao compositor e pintor italiano Luigi Russolo.

A organização do prémio é, desde 2010, da responsabilidade do Studio Forum, em colaboração com a fundação Russolo-Pratella.

O prémio foi atribuído também aos compositores Renaud Bajeux, Lisandro Barbato, François Buffet, Jean-Louis Hargous, Hamish Hossain e Pedro Linde.

Comentar