Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

BeiraNews | Dezembro 18, 2018

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Protestos dos ‘coletes amarelos’ na Reunião deixam 16 polícias feridos

Protestos dos ‘coletes amarelos’ na Reunião deixam 16 polícias feridos
José Lagiosa

Dezasseis polícias ficaram feridos na Reunião quando intervieram contra a violência urbana que atinge a ilha, localizada no Oceano Índico, paralisada pelos ‘coletes amarelos’, informaram hoje as autoridades locais.

Um polícia perdeu a mão na explosão acidental de uma granada no seu veículo enquanto era atacado por jovens manifestantes, revelou a administração local de Saint-Denis, cidade localizada na ilha de Reunião, um departamento ultramarino francês.

Os restantes feridos são cinco polícias militarizados (Gendarmerie) e outros 10 polícias.

“Ele perdeu a mão esta noite (…). Poderia ter acontecido com qualquer polícia. A situação tornou-se muito complicada”, declarou Idriss Rangassamy, secretário departamental do sindicado Aliança da Polícia.

Os “coletes amarelos” são um movimento cívico à margem de partidos e sindicatos criado espontaneamente nas redes sociais e alimentado pelo descontentamento da classe média-baixa.

O movimento, que começou contra o aumento do imposto sobre o combustível e alargou os protestos contra a carga fiscal em geral, é um novo obstáculo para o executivo de Emmanuel Macron, que decidiu aumentar os impostos dos combustíveis para promover a transição energética no país.

Na noite de terça-feira, a ilha de Reunião sofreu uma nova vaga de violência, apesar do recolher obrigatório decretado pelo autarca Amaury de Saint-Quentin, das 21:00 às 6:00, para 14 das 24 comunas.

Segundo dados da administração da ilha, houve 38 detenções na noite de terça-feira e um total de 108 desde sábado.

A polícia interveio em várias áreas quentes: Chaudron (Saint-Denis), Porto e Posse (oeste) e Saint-Gilles (oeste), onde ocorreram tentativas de roubar negócios.

Os manifestantes jogaram pedras e coquetéis explosivos contra a polícia.

“O recolher obrigatório permitiu que a polícia realizasse as suas intervenções com segurança”, segundo a administração local.

Fortemente impactada nos últimos cinco dias pelo movimento ‘coletes amarelos’, a ilha de Reunião está a enfrentar um surto de violência como não se conhecia há quase trinta anos.

“A evolução do movimento é intolerável: bloqueios durante o dia são transformados em violência urbana à noite”, disse na terça-feira à noite a ministra do Ultramar, Annick Girardin, citando a violência cometida por “jovens que não têm nada a ver com ‘coletes amarelos’”.

Às 12:00 (08:00 em Lisboa) de hoje foram erguidos 25 bloqueios nas estradas da Reunião, de acordo com a Direção Regional de Estradas de Rodagem (DRR).

As estações de serviço da ilha estão a começar a sofrer com os bloqueios: a maioria está com falta de gás, alguns começaram a racionar gasolina e diesel (não mais de 20 euros por pessoa).

Escolas e universidades permanecem fechadas na quarta-feira e algumas jurisdições e serviços públicos estão parados.

*Lusa / Foto: GUILLAUME HORCAJUELO

 

Comentar