5.5 C
Castelo Branco
Terça-feira, Novembro 24, 2020
No menu items!
Início Internacional Fundação Galp integra projeto de transição energética que impacta 220 mil pessoas...

Fundação Galp integra projeto de transição energética que impacta 220 mil pessoas na Guiné-Bissau

Projeto Fumukaba promove substituição de carvão vegetal por gás butano na confeção de alimentos, beneficiando mais de 25 mil agregados familiares

Financiado pela União Europeia e pela Fundação Galp, terá forte impacto na saúde dos guineenses e na redução da devastação das florestas

A Fundação Galp está a apoiar e financiar um projeto que promove a substituição de carvão vegetal por gás butano na confeção de alimentos nos lares da Guiné-Bissau.
Iniciado em abril de 2018, o projeto Fumukaba foi hoje formalmente apresentado em Bissau, terá a duração de 24 meses e impacto em mais de 25 mil agregados familiares de bairros da capital daquele país, o que representa cerca de 220 mil pessoas, ou seja cerca de 50% dos habitantes da região.
Enquadrado nos objetivos de desenvolvimento sustentável que orientam a Fundação Galp, o projeto Fumukaba terá um forte impacto na saúde dos guineenses e na redução da devastação das florestas na Guiné Bissau, promovendo a transição energética e incentivando a comunidade a adotar soluções de energia mais limpa.
Atualmente, cerca de 95% da população residente na Guiné-Bissau utiliza a lenha e o carvão vegetal para a cozinha e outras necessidades energéticas, devido à baixa produção da energia elétrica e à quase a inexistência do fornecimento e do uso regular do gás butano, tanto nos centros urbanos, como nas zonas rurais.
O projeto Fumukaba envolve um investimento de 1 milhão de euros – financiado a 10% pela Fundação Galp e a 90% pela União Europeia – e é desenvolvido no quadro do programa “Pacto dos Autarcas para a África Subsaariana – Fase II”.
Além da Fundação Galp e da União Europeia, são também parceiros do Fumukaba a União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa e o Município de Bissau.
Presente na Guiné-Bissau desde finais dos anos 50, a Galp emprega atualmente 250 pessoas neste país, 131 dos quais colaboradores diretos da empresa.
Como ocorre em todos os mercados onde opera, a Galp conjuga a sua atividade económica com um aposta contínua na comunidade em que se insere.
A Galp tem hoje na Guiné protocolos de apoio e colaboração com entidades como a SOS Criança, o Lar Bethel, a Casa do Amparo, a Federação de andebol, a Faculdade de Direito de Bissau, o Ministério da Juventude Cultura e Desporto e a Secretaria de Estado do Ambiente.
 

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

Novo aeroporto de Luanda sem financiamento adicional e obra retomada no início de 2021

O ministro dos Transportes angolano garantiu hoje que o novo Aeroporto Internacional de Luanda não terá financiamentos adicionais, e que as obras...

Covid-19: Público vai regressar aos estádios ingleses a partir de 02 dezembro

O público vai poder regressar a alguns estádios de Inglaterra a partir de 02 de dezembro, de acordo com limites determinados pela...

Covid-19: Retalho e restauração com perdas superiores a 75% no fim de semana

O retalho e a restauração registaram perdas de 76% no último fim de semana, o segundo com recolher obrigatório e limitações no...

Covid-19: Plano de vacinação está a ser preparado “há meses” em Portugal diz DGS

A diretora-geral da Saúde disse hoje que o plano de vacinação contra a covid-19 em Portugal está a ser preparado “há meses”,...

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: