Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Janeiro 29, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Palestra em Peraboa promovida pela Real Associação da Beira Interior

Palestra em Peraboa promovida pela Real Associação da Beira Interior
José Lagiosa

A Real Associação da Beira Interior, organizou uma palestra, no dia 25 de Novembro, na Junta de Freguesia de Peraboa.

Este evento teve o apoio da Junta de Freguesia local.

O tema referido foi – “Nossa Senhora da Conceição” e o orador convidado foi o professor, cronista, teólogo e historiador Florentino Vicente Beirão.

Na Mesa estiveram para além do orador, a Tesoureira da Junta de Freguesia de Peraboa, Cristina Barata e a presidente da Real Associação da Beira Interior, Elisa Vasconcelos e Sousa.

Nossa Senhora da Conceição é Padroeira de Peraboa e também de Alcains de onde é natural Florentino Vicente Beirão.

A devoção a Nossa Senhora da Conceição é ao mesmo tempo antiga e moderna.

A devoção a Nossa Senhora, mãe de Jesus Cristo não era praticada pelos cristãos até ao Século IV.

Com a cristianização do Império de Roma, o Imperador Constantino, fez com que a religião cristã fosse o único culto praticado na Roma Imperial.

Com o Concilio de Niceia em 325, começou a haver preocupação com a natalidade de Jesus Cristo, sendo de importância o papel de Maria sua mãe imaculada sem o pecado original.

Com isto Jesus Cristo deixa de ser figura central e praticamente única na visão dos cristãos.

A devoção a Nossa Senhora da Conceição surge na Síria do Século IV, depois aparece no actual Reino Unido e Grã-Bertanha no Século VI, chegando mesmo à Irlanda no Século IX.

Em Portugal a devoção a Nossa Senhora chega com o início da nacionalidade no Século XII, é de reparar a devoção a Maria mãe de Jesus Cristo por parte daqueles que ajudaram a fundar o Reino de Portugal, o caso da Ordem dos Templários e da Ordem de Cister.

Dai as terras do novo Reino de Portugal serem terras de Santa Maria, dando nomes a castelo e a várias igrejas, tudo isto na Idade Média e com a I Dinastia Reinante de 1143-1182, Afonsina ou Borgonha.

Com a II Dinastia de 1385-1580, Avis, continuou o culto a Maria, com a Nossa Senhora do Carmo.

Mas sendo o primeiro Rei da II Dinastia Dom João I que casou com Dona Filipa de Lencastre de Inglaterra veio o culto a Nossa Senhora da Conceição.

Entre 1580 e 1640 o Reino de Portugal fica soube o domínio do Reino de Espanha, com os três Reis Filipes I, II e III Dinastia Reinante Filipina ou Habsburgo.

Período negro de 60 anos com a perda da soberania de Portugal sobre o seu território.

No entanto em 1640 Portugal adquire novamente a soberania com Dom João IV, surgindo a IV Dinastia Reinante, Bragança.

Com Dom João IV e as Guerras da Restauração, começa a surgir de forma significativa o culto a Nossa Senhora da Conceição, até ao ponto do Rei Dom João IV ter decidido em 25 de Março de 1646, deixar de usar a coroa e entrega-la a Nossa Senhora da Conceição, sendo ela Rainha e Padroeira de Portugal.

Mas, já em 1476 havia uma grande devoção a Nossa Senhora da Conceição.

Em 1854 o Papa Pio IX, decreta um dogma da Fé ao instituir em 8 de Dezembro de 1854 a devoção a Nossa Senhora da Conceição que chegou a ser o dia da Mãe em Portugal.

O Estado Novo,  II república dá um enorme destaque à restauração com a comemoração do III Centenário em 1940 e começa aparecer em várias localidades a imagem de Nossa Senhora da Conceição em azulejo.

Em 1982, o Papa João Paulo II visita o Santuário de Nossa Senhora da Conceição em Vila Viçosa.

 

Comentar