27.2 C
Castelo Branco
Quinta-feira, Junho 24, 2021
No menu items!
InícioCultura“Genealogia das Gentes de Escalos de Cima” foi tema de Palestra na...

“Genealogia das Gentes de Escalos de Cima” foi tema de Palestra na Associação Squallius

A Real Associação da Beira Interior com apoio da União de Freguesias de Escalos de Cima e Lousa e da Associação Squallius organizou uma palestra, no dia 13 de janeiro, na sede desta Associação.
O tema da palestra foi “Genealogia das Gentes de Escalos de Cima” e o orador convidado foi o professor e genealogista António Graça Pereira.
Na Mesa estiveram além do orador, Miguel Rijo, o presidente da Associação Squallius, João Miguel Baltazar, presidente da União de Freguesias de Escalos de Cima e Lousa e Rui Mateus em representação da Real Associação da Beira Interior.
Antes de se iniciar o evento, durante um minuto todos bateram palmas em homenagem ao Nelson Barroqueiro, pessoa muito dinâmica e importante na Associação Squallius.
António Graça Pereira, teve um longo trabalho o recolher a documentação de registos paroquiais de Escalos de Cima no Arquivo Nacional da Torre do Tombo, em Lisboa, e no Arquivo Distrital de Castelo Branco, documentação essa, que vai de 1595 a 1911.
Foram vários milhares de recolhas entre batismos, casamentos, óbitos e outros documentos.
Toda esta documentação está registada por parte de Graça Pereira num programa informático de genealogia – PAF.
António Graça Pereira, mostrou a sua Árvore Genealógica com antepassados seus de Escalos de Cima.

António Graça Pereira

Outro facto curioso da Árvore Genealógica do orador é o facto de se encontrarem dois padres como seus antepassados, que depois de viúvos receberam Ordens Menores, isto no século XVII.
Foram mostrados os costados de pessoas com raízes em Escalos de Cima nomeadamente Joaquim Hortas Botelho, General António Ramalho Eanes, Bispo Dom António Baltazar Marcelino e as fadistas Amália Rodrigues e Celeste Rodrigues.
António Graça Pereira, mostrou dois registos de óbito de 30-XI-1762 que relatam o assassinato do casal Brás Quaresma e Isabel Leitoa, em Escalos de Cima, por parte de ladrões castelhanos.
O orador, para exemplificar outras fontes de informação, mostrou dois passaportes de pessoas de Escalos de Cima que emigraram para o Brasil, Francisco Soares em 1929 e Luís Araújo em 1953.
Destacou de seguida a dezena de escalenses que participaram na 1ª Grande Guerra destacando Luís Araújo, “louvado porque fazendo parte da guarda de flanco do seu pelotão penetrou com muita decisão na trincheira de comunicação inimiga, dando um belo exemplo às outras praças” e Abel Justino Lisboa que faleceu em combate e está sepultado em Richebourg. Também foram mostrados, registos de escalenses noutras localidades como o casamento de Isabel Lopes em 1690 em Ferreira de Alcântara e o de Inês Angélica Hortas Botelho em 1882 em Gáfete (Crato).
O orador anotou cerca de 300 apelidos em Escalos de Cima.
Mostrou a origem de alguns apelidos de origem patronímica: Vitorino, Tomé, Gregório, Pio, Baltazar e Bernardo.
Na segunda parte da palestra várias pessoas mostraram interesse em saber quem eram os seus antepassados e as suas origens.
Muitos, quase todos, descobriram que tinham parentesco com o orador.
Foto: A terceira dimensão
 

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: