Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Setembro 16, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Amor Electro tocam em fevereiro em Ponta Delgada na estreia de festival nos Açores

Amor Electro tocam em fevereiro em Ponta Delgada na estreia de festival nos Açores
José Lagiosa

Os Amor Electro atuam em 15 de fevereiro, em Ponta Delgada, integrados no festival Montepio Às Vezes O Amor, que à 5.ª edição chega pela primeira vez aos Açores e mostra em São Miguel a “entrega total” do quinteto.

“Acreditamos plenamente neste projeto e neste conceito. Tem corrido sempre de forma estrondosa para todos os artistas, o que nos dá uma grande motivação e confiança de que a música portuguesa está bem e recomenda-se”, disse Marisa Liz, vocalista dos Amor Electro.

O grupo está na ilha de São Miguel a promover a sua atuação de fevereiro no Coliseu Micaelense, garantindo um concerto de “entrega total” e foco sobretudo no mais recente disco de originais, mas “com um alinhamento pensado só para esta noite, ligeiramente mais romântica”. Os Amor Electro editaram em 2018 o álbum #4, terceiro de originais e que sucedeu, cinco anos depois, ao álbum (R)Evolução.

Ponta Delgada, Guimarães, Santarém e Estarreja acolhem no próximo mês, pela primeira vez, concertos do festival Montepio Às Vezes O Amor, que à 5.ª edição chega a 17 cidades portuguesas. De acordo com a organização, “mantêm-se as já tradicionais capitais do amor: Aveiro, Beja, Castelo Branco, Évora, Faro, Lagoa, Leiria, Lisboa, Porto, Setúbal e Vila do Conde”.

Em 2019, além dos Amor Electro, “os nomes convocados para aquecer os corações apaixonados com as suas emblemáticas e arrebatadoras canções” são: Aurea, Cuca Roseta, David Fonseca, Diogo Piçarra, Herman José, HMB, João Pedro Pais, José Cid, Luísa Sobral, Mafalda Veiga, Miguel Araújo, Raquel Tavares, Sara Tavares, Tiago Bettencourt, The Gift e Xutos & Pontapés.

O Festival Às Vezes O Amor foi criado em 2015, congregando, na altura, oito cidades com concertos em simultâneo, com o objetivo de aumentar a oferta de espetáculos de música portuguesa fora do circuito de festivais de verão.

*Lusa / Foto: TIAGO PETINGA

Comentar