Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

BeiraNews | Junho 16, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Doze autores de poesia finalistas ao Prémio Literário Casino da Póvoa

Doze autores de poesia finalistas ao Prémio Literário Casino da Póvoa
José Lagiosa

Doze autores, entre os quais Luís Quintais, Adília Lopes e Daniel Jonas, são finalistas do Prémio Literário Casino da Póvoa, atribuído no âmbito do encontro literário Correntes d’Escritas, na Póvoa de Varzim, foi hoje anunciado.

Este ano, o prémio é dedicado à poesia e a ele candidataram-se 45 obras, tendo o júri selecionado 12 finalistas, entre os quais autores que já tinham sido nomeados em edições anteriores, como Luís Quintais, Golgona Anghel, José Tolentino Mendonça e João Rios.

As obras finalistas são: “A Noite Imóvel” (Luís Quintais), “Bandolim” (Adília Lopes), “De Passagem” (José Alberto Oliveira), “Existência” (Gastão Cruz), “Nadar na piscina dos pequenos” (Golgona Anghel), “Não É Grave Ser Português” (João Rios), “Oblívio” (Daniel Jonas), “Rua antes do Céu” (José Luís Tavares), “Suite sem Vista” (Inês Fonseca Santos), “Tardio” (Rosa Oliveira), “Teoria da Fronteira” (José Tolentino Mendonça) e “Tratado” (Luís Carmelo).

Gastão Cruz venceu este prémio literário em 2009 com a obra “A moeda do tempo”.

Das 12 obras finalistas a este prémio – que tem habitualmente o valor monetário de 20.000 euros -, sete foram publicadas pela Assírio & Alvim, quatro pela Abysmo e uma com selo da Tinda da China.

O júri deste ano integra Almeida Faria, Ana Paula Tavares, José António Gomes, Maria Quintans e Marta Bernardes. A obra vencedora será anunciada no dia 19 de fevereiro.

A vigésima edição do Correntes d’Escritas – Encontro de Escritores de Expressão Ibérica decorrerá de 16 a 27 de fevereiro on Cine-Teatro Garrett, na Póvoa de Varzim.

Apresentado como a maior edição de sempre, o encontro contará com a presença de mais de 140 convidados, de vinte países, entre os quais um prémio Cervantes, o nicaraguense Sergio Ramírez, prestes a lançar “Já ninguém chora por mim” em Portugal, três prémios Camões (Arménio Vieira, Germano Almeida e Hélia Correia) e cinco prémios literários Casino da Póvoa (Lídia Jorge, Ana Luísa Amaral, Manuel Jorge Marmelo, Juan Gabriel Vásquez, além de Hélia Correia).

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai dirigir a cerimónia de abertura no dia 19, enquanto o Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, vai proferir a conferência inaugural, sobre “As letras da língua e a mobilidade dos criadores na CPLP”.

*Lusa / Foto: JOSÉ COELHO

Comentar