12.1 C
Castelo Branco
Domingo, Setembro 26, 2021
No menu items!
InícioDesportoMais um final explosivo na “Alentejana”

Mais um final explosivo na “Alentejana”

Basco bisa em Odemira

A chegada a Odemira revelou que o Alentejo é terreno fértil para Enrique Sanz, da Euskadi Basque Country-Murias, que gosta de chegadas explosivas.

O último quilómetro da segunda etapa da 37ª Volta ao Alentejo Crédito Agrícola era duro mas para Sanz foi o ideal, com novo triunfo ao sprint.

“Foram duas vitórias em duas etapas em que a equipa trabalhou muito bem o dia todo. Foi graças a eles que consegui este remate final”, declarou o espanhol, natural do país basco, admitindo que “ainda há outras etapas, inclusive o contrarrelógio, que se adaptam melhor a outro tipo de corredores, inclusive na minha equipa há quem faça melhor”.

O jovem basco, que durante cinco temporadas correu na World Tour Movistar, voltou a sobrepor-se aos principais adversários deixando para trás Raúl Alarcon (W52-FC Porto) e Vicente Garcia de Mateus.

A regularidade do corredor da Aviludo-Louletano fá-lo ascender ao segundo lugar da geral, empurrando para a terceira posição Luís Mendonça (Radio Popular-Boavista), ainda que todos estejam empatamos com o mesmo tempo.

Fuga morreu na praia

Se na etapa inaugural apenas um corredor encostou a bicicleta, apesar dos muitos episódios de queda registados no pelotão, nesta segunda etapa a lista de participantes perdeu mais seis elementos antes mesmo do arranque.

De Mértola saíram 117 corredores a caminho do litoral alentejano, um percurso marcado por uma fuga longa de três elementos que começou com o suíço Cyrille Thiery (Swiss Racing Academy) a quem se juntou o espanhol Ibai Azurmendi (Equipa Euskadi) e o norte-americano da formação angolana BAI Sicasal Petro Luanda, Timothy Rugg.

O pelotão encabeçado pela atenta formação do Camisola Amarela, a Euskadi Basque Country-Murias, anulou a fuga a cerca de 20 quilómetros da meta onde o suíço foi o último sobrevivente.

A corrida passava no momento por Vila Nova de Milfontes.

Nem a investida da W52-FC Porto, a nove quilómetros da meta e em concreto de Raúl Alarcón já na aproximação à meta, foi capaz de travar Enrique Sanz que mantém a Camisola Amarela Crédito Agrícola e continua a comandar também a classificação por pontos, Camisola Preta Kia. 

Numa etapa sem qualquer prémio de montanha, a cerimónia de pódio também repetiu os protagonistas anteriores na classificação da montanha e da juventude, ambos do bloco Equipo Euskadi.

O espanhol Antonio Soto é rei dos trepadores, Camisola Castanha Delta Cafés, e o colombiano Sergio Higuita Camisola Branca Fundação INATEL.

Romaria ao Alto Alentejo

A terceira etapa da 37ª Volta ao Alentejo Crédito Agrícola despede-se do Litoral Alentejano esta sexta-feira, a partir de Santiago do Cacém, de onde os corredores partem com destino a Mora.

As Metas Volantes estão em Grândola, Vendas Novas e Arraiolos, e há duas contagens para o Prémio de Montanha, a primeira em Alcácer do Sal e depois em Montemor-o-Novo, ambas de 4ª categoria.

O terceiro dia de competição cumpre-se após 176,5 km com chegada prevista pelo melhor horário às 15h48. 

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: