Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Maio 31, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Câmara Municipal Proença-a-Nova executou 91,7 por cento da receita

Câmara Municipal Proença-a-Nova executou 91,7 por cento da receita
José Lagiosa

A Câmara de Proença-a-Nova executou 91,72 por cento da receita prevista no orçamento para 2018 e cifrou os prazos médios de pagamento a fornecedores nos 24 dias, mantendo-se em linha com o ano anterior, ressaltando a dinâmica do município e a veracidade do orçamento apresentado.

A boa execução orçamental no ano passado, à semelhança do que tem vindo a acontecer nos anos anteriores, é a principal nota que sobressai no balanço final aprovado por maioria (com três abstenções) na sessão de 29 de abril da Assembleia Municipal, o que confirma a saúde financeira da autarquia.

O presidente da Câmara Municipal, João Lobo, fez um balanço dos resultados do ano de 2018, mostrando-se satisfeito com os resultados: “as receitas provenientes de imposto em 2018, relativamente a 2017, tiveram um impacto positivo, o que significa que a atividade económica cresceu e isso fez-se sentir na coleta e na tributação de imposto. Os resultados de execução do orçamento dizem-nos que temos uma saúde financeira estável e assim com a capacidade de lançar novos desafios”.

As receitas totalizaram 11.293.654,63 euros, enquanto do lado da despesa o ano encerrou com 9.441.395,43 euros, correspondentes 77,93% do valor orçamentado.

Nesta sessão da Assembleia Municipal foi também aprovado por maioria a reorganização da estrutura orgânica e o regulamento de organização dos serviços municipais, estrutura e competências, que entrará em vigor após publicação em Diário da República.

“Este novo organograma ajusta-se às novas competências por força do estabelecido na Lei 50/2018 e ao mesmo tempo à reorganização dos serviços para uma estrutura que se quer mais eficiente e ágil, potenciando a realização profissional com o objetivo primeiro de servirmos sempre melhor os nossos concidadãos”, acrescenta João Lobo.

Durante 2018 e à semelhança de anos anteriores, o município não utilizou a margem disponível para aumento da sua dívida total que era de 2 287 258,58 euros, tendo mesmo diminuído o valor da dívida em 286 855,00 euros, face ao mesmo período homólogo.

O Município não contraiu nenhum empréstimo de curto prazo em 2018, tendo conseguido amortizar a dívida bancária em 307 830,14 euros.

Comentar