Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Setembro 16, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Ponto de Vista… por António Justo

Ponto de Vista… por António Justo
José Lagiosa

Guerra comercial entre os EUA e a China: porquê?

Números que podem ajudar a diminuir Preconceitos!

O comércio dos EUA com a China é muitíssimo desfavorável para os EUA e a continuar como antes estava a correr perigo de se reduzir a uma subvenção do capitalismo comunista estatal na China.

Como relata a imprensa alemã, as importações de produtos da China pelos USA em 2017 cifraram-se em 506,3 mil milhões de dólares, enquanto a China importou apenas 130,4 mil milhões de dólares de mercadorias dos USA.

António Justo

Em 2018 o balanço financeiro ainda foi pior para os USA. Enquanto os EUA importaram da China mercadorias no valor de 540,3 mil milhões de Dólares, a China importou dos EUA artigos no valor de 121,0 mil milhões de dólares. Em 2018 os USA tiveram um balanço financeiro negativo de 419,3 mil milhões de dólares.

O balanço comercial (importação e exportação de produtos) entre os USA e a Europa é desfavorável para os USA.

Assim podemos compreender melhor alguns preconceitos que se espalham nos Media em relação à atitude protecionista dos USA. Por esse fenómeno Trump (não sendo muito embora nenhum santinho) é cognominado, pelos adversários, de nacionalista e de populista.

Precisamos de uma economia que crie um equilíbrio social e melhores condições do meio ambiente dentro e fora dos próprios muros e não à custa do fomento da luta e do preconceito que alimenta muita gente a viver à custa dos pobres de todo o mundo e dos cidadãos empenhados no trabalho para enriquecer a sociedade.

Uma solidariedade estável sistematizada em cada Estado seria o primeiro passo para criar um modelo de sociedade que poderia ser exemplo de solidariedade com os outros povos.

Como pode um sistema interno injusto que não cumpre os deveres de casa justificar tanto idealismo e empenho fora da própria nação? Não estará por trás de tudo isto um turbo-capitalismo anónimo irmanado com um marxismo anonimizador, interessado em estabilizar o fenómeno da pobreza nos Estados ocidentais, em nome do combate à pobreza fora da civilização ocidental?

Doutro modo, porque facilitou o partido democrata, quando governava, a saída de empresas dos USA para a China e até as isentando de tachas aduaneiras? Porque apoiam os camaradas o regime chinês de ditadura capitalista- socialista?

Porque se irritam tanto com um Trump que no aspecto ideológico parece contribuir para um melhor equilíbrio obrigando a repensar-se o globalismo desenfreado? Nesta guerra parece encontrar-se escondida a luta entre os republicanos nacionalistas e patriotas que querem proteger o próprio mercado e os democratas progressistas mais interessados na implementação do globalismo. Isto leva à irritação em todo o mundo ocidental cada vez mais dividido entre conservadores e progressistas e irrita especialmente as nações europeias de economia forte que tinham apostado tudo na cartada de uma economia liberal sem consideração por interesses nacionais!

A política económica americana revelava-se num programa de apoio e fomento da ditadura chinesa, num desvio dos interesses ocidentais da África, América do Sul e Rússia e numa desobriga política das elites dos estados europeus perante os seus cidadãos.

Não se fale já da luta entre as diferentes formas de ver e entender a realidade!

© António da Cunha Duarte Justo
Pegadas do Tempo, https://antonio-justo.eu/?p=5426

Comentar