9.5 C
Castelo Branco
Sábado, Outubro 31, 2020
No menu items!
Início Desporto António Angulo Sampedro veste de amarelo

António Angulo Sampedro veste de amarelo

Vitória ao sprint de Oscar Pelegri Ferrandis na segunda etapa do 40º GP ABIMOTA, que ligou Ourém a Mortágua, numa extenção de 170.3Km

António Angulo Sampedro – Efapel cortou a meta em nono lugar, depois de 170 quilómetros muito disputados, em que os nove primeiros terminaram separados por menos de um segundo.

Oscar Pelegri Ferrandis Vito/Feirense, foi o homem do dia ao vencer a etapa sobre a meta, com forte oposição de Francisco Campos – W52/FC Porto, que cortou quase lado a lado.

A W52/FC Porto manteve o comando da prova, por equipas.

A etapa foi dominada, no início, por um grupo de seis corredores – Thomas Armstrong – Kuota/Construcciones Paulino; Pedro Lopes – UD Olivieirense/Inoutbuilt; Pedro Pinto – Miranda/Mortágua; Gonçalo Leaça – LA Aluminios/LA SPort; Bjorn Thurau – Vito/Feirense/PNB; Hugo Nunes – Rádio Popular/Boavista; Pedro Andrade – Vito/Feirense/PNB – que nunca conseguiram uma vantagem sólida sobre o pelotão, que foi encabeçado, a maior parte do tempo, pela Equipo Euskadi. 

Os últmos dez quilómetros foram decisivos. 

David de la Fuente Rasilla – Aviludo Louletano lançava o ataque, seguido por Hugo Nunes – Radio Popular/Boavaista, que rodava completamente colado.

De seguida era a vez António Barbio – LA Alumínios/La Sport se destacar, mas não por muito tempo.

Nos últimos quilómetros os homens da W52/FC Porto lançaram o ataque, que os levava a bater os espanhóis da Equipo Euskadi na cabeça do pelotão.

Francisco Campos – W52/FC Porto, forçou, mas não chegou para vencer, levando Mikel Alonso – Equipo Euskadi na peugada.

“(A segunda etapa) foi bem disputada, houve fuga, houve competição e uma chegada ao Sprint. A prova contou com dificuldades e esta ultima montanha, não veio facilitar nada os atletas mas houve competição que é o mais importante. Para amanha esperamos uma etapa muito idêntica a esta, com competição e uma chegada ao sprint”, declarou Vital Almeida, director da prova no final da etapa.

O novo camisola amarela no podium

Já o novo Camisola amarela, Antonio Angulo Sampedro confidenciou, “sabiamos que a parte final ia ser muito nervosa, porque havia alguns ressaltos e uma descida muito rápida até à meta, primeiro foi uma fuga e ganhou-se tempo, coloquei-me logo atrás da Equipo Euskadi, que fez um bom trabalho, no final saímos muito rápido e graças à equipa cheguei aqui em condições de conseguir a vitória e pronto, ficamos com a camisola amarela e agora é ver se a mantemos”.

Por seu lado Oscar Pelegri Ferrandis, o vencedor da etapa afirmou, “de início foi difícil, porque não sabíamos se ia haver uma fuga, não sabíamos  o que havíamos de fazer e afinal sim, foi uma fuga que valeu ao Porto. A Equipo Euskadi passou a controlar, e então eu já sabia que queriam acabar ao sprint”.

“Pela nossa parte era guardar todas as forças possíveis e na última subida era estar na linha da frente. A equipa conseguiu que tanto eu, como o Filipe, entrássemos todos á frente e o Filipe ajudou-me muito no último quilómetro… eu só tive que sprintar e levantar os braços”, confessou o vencedor.

“Treinei bem. Esta volta é mais de sprinter, para corredores mais rápidos, então tive a esperança, depois da vitória geral do ano passado, de que iria aqui ganhar uma etapa pelo menos e faremos todos os possíveis para tentar ganhar à geral mas será complicado”, terminou.

Descrição da etapa

A partida oficial foi dada às 12h30, em Ourém.

Após 8,65Km´s realizou-se a primeira Meta de Montanha, Fátima/Ourém, uma contagem de terceira categoria, que foi ganha por Patrick Videira – Fortunna/Maia, seguido por Steven Calderón – Kuota – Construcciones Paulino e Hugo Sancho – Miranda/Mortágua.

A Meta Autarquias do dia teve lugar em Ourém ao Km 24.6 e teve a seguinte classificação:

1º Rafael Lourenço – UD Olivierense/Inoutbuild
2º Daniel Freitas – Miranda/Mortágua
3º Márcio Barbosa – Aviludo/Louletano

Ao Km 44,10 teve lugar a Meta Bolinhas, com vitória para Gonçalo Leça – LA Alumínios/La Sport, seguido por Hugo Nunes – Rádio Popular/Boavista e Bjorn Thurau – Vit/Feirense/PNB.

A segunda Meta Montanha desta etapa foi em Zambujal – Alvaiázere (Km 52,2) teve a seguinte classificação:

1º Hugo Nunes – Rádio Popular/Boavista

2º Bjöm Thurau – Vito/Feirense/PNB

3º David de la Fuente Rasilla – Aviludo/Louletano

A cabeça da prova estava ocupada por Thomas Armstrong – Kuota/Construcciones Paulino;  Pedro Lopes – UD Olivieirense/Inoutbuilt; Pedro Pinto – Miranda/Mortágua; Gonçalo Leaça – LA Aluminios/LA SPort; Bjorn Thurau – Vito/Feirense/PNB; Hugo Nunes – Rádio Popular/Boavista; Pedro Andrade – Vito/Feirense/PNB

A beleza do ciclismo estampada na imagem

Ao Km 80 a Euskadi estava na cabeça do pelotão.

O grupo fugitivo tinha uma vantagem de 2m10s, sobre o pelotão.

A média horária até este momento era de 40Km/h.

 A Meta Volante do Lousã (KM 100,55) teve a seguinte clssificação:

1º Hugo Nunes – Rádio Popular/Boavista

2º David de la Fuente Rasillas – Aviludo/Louletano

3º Thomas Armstrong – Kuota Construcciones/Paulino

Aos 100 Km´s a média horária subiu, estando em 42Km/h, ao quilómetro 120.

Ao Km 131 a cabeça da corrida era constituída por: BjornThurau – Vito/Feirense/PNB; David de la Fuente – Aviludo/Louletano; Francisco Garcia Rous – Aviludo Louletano.

Km 139, Gonçalo Inácio foi apanhado pelo pelotão, que estava a 2m15 da cabeça da corrida.

Euskadi mantém comando do pelotão.

Km 147, o pelotão recuperava distância para a cabeça da corrida e estava a dois minutos.

Km 150, o pelotão estava a 50s da cabeça da corrida.

Bjorn Thurau perdeu o contacto com a cabeça da corrida ao Km155, sendo integrado no pelotão.

A cabeça de corrida era agora constituída por David de la Fuente Rasilla – Aviludo Louletano e Hugo Nunes -Rádio Popular/Boavista.

A Meta Volante de Mortágua, ao Km160 cumpria-se com quatro horas de corrida.

Foi vencida por David de la Fuente Rasilla – Aviludo Louletano; seguido por Hugo Nunes – Radio Popular/Boavaista, completamente colado e Bjorn Thurau – Vito/Feirense/PNB era terceiro.

A camisola amarela é posse de António Angulo Sampedro – Efapel 

Ao Km 165 António Barbio – LA Alumínios/La Sport destacava-se.

Marcos Jurado Rodriguez – Efapel era o fugitivo e colocava-se a seis segundos.

A W52/FC Porto colocava-se na dianteira do pelotão.

FInal. Km 170,3. Vitória ao sprint de Oscar Pelegri Ferrandis – Vito/Feirense/PNB, seguido por António Angulo Sampedro – Efapel e Francisco Campos – W52/FC Porto.

A camisola amarela é posse de António Angulo Sampedro – Efapel 

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

Covid-19: Cristiano Ronaldo recuperado após 17 dias

O internacional português Cristiano Ronaldo, que alinha na Juventus, teve um resultado negativo para o novo coronavírus, que provoca a covid-19, e...

Novos pontos de recolha de Óleos Alimentares Usados na Sertã

A Câmara Municipal da Sertã ampliou e renovou a rede de equipamentos de recolha de Óleos Alimentares Usados  junto aos ecopontos, distribuídos...

Covid-19: Taxa de ocupação nos hospitais ultrapassou os 80% segundo o Governo

A taxa de ocupação de camas de enfermaria de doentes com covid-19 situa-se nos 84%, sendo de 81% nas Unidade de Cuidados...

UNITA diz que Presidente angolano tem medo do povo

O líder da UNITA, maior partido da oposição, disse hoje, em Luanda, que o presidente do MPLA, partido no Governo, “tem medo...

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: