Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Julho 17, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Imprensa Nacional apresenta monografia inédita de artista Fernando Lemos

Imprensa Nacional apresenta monografia inédita de artista Fernando Lemos
José Lagiosa

A Imprensa Nacional apresentou, na última quarta-feira, dia 5 de junho, na Biblioteca da Imprensa Nacional, o novo volume da Série Ph, dedicado ao artista modernista Fernando Lemos, numa sessão que contou com a presença do artista.

O livro conta com um ensaio da investigadora de História de Arte, Filomena Serra.

O livro abre com uma fotografia inédita de José-Augusto França, na Galeria das Quimeras, na Notre Dame, a quem o artista dedica o livro.

A partir daí, a monografia explora a obra fotográfica de Fernando Lemos, desde que, depois de uma estada nas Berlengas, entrou numa loja, “comprou uma ‘máquina primitiva’: uma Flexaret checoslovaca” e começou “então numa fúria a fotografar tudo”.

Pelo livro, passam retratos de Sophia de Mello Breyner, Jorge de Sena, Adolfo Casais Monteiro, Arpad Szenes, Maria Helena Vieira da Silva, Mário Cesariny, ou Jorge de Sena.

Segundo as palavras de Filomena Serra: “A performatividade de muitos destes retratos é a grande força da sua fotografia e ela reside, em muito, na liberdade dessa parceria íntima e participante.”

Fernando Lemos nasceu em Lisboa em 1926 e pertence à terceira geração de artistas modernistas portugueses.

Tem desenvolvido uma atividade multifacetada, dedicando-se em particular às artes visuais (pintura, desenho, fotografia) e ao design (gráfico e industrial), mas também à escrita e ao ensino.

Já expôs em Portugal, Brasil, França, Inglaterra, Japão, EUA, Áustria, Itália, entre muitos outros países.

Foi Prémio Nacional de Fotografia em 2001 e, a 6 de junho de 2018, foi feito Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique.

Este mês terá um vasto programa de exposições em Portugal dedicado à sua obra.

Uma exposição do MUDE – Fora de Portas (Cordoaria Nacional – Torreão Poente), uma retrospetiva do seu trabalho enquanto designer, com um catálogo coeditado pelo MUDE e Imprensa Nacional (dia 6 às 19h); uma exposição de azulejaria “Máscaras do Tempo” na Galeria Ratton que teve a inauguração a 4 de junho e a exposição “Mais a mais ou menos” na Galeria 111 desde intem, 8 de junho.

A Série Ph é uma coleção de monografias dedicada a fotógrafos portugueses contemporâneos.

Estas edições pretendem dar a conhecer a obra dos autores, apresentando os territórios expandidos e múltiplos da Fotografia e são enriquecidas com textos de especialistas.

São sempre bilingues, contêm sempre obras inéditas e custam apenas 19 euros.

Os primeiros dois títulos foram dedicados a Jorge Molder e Paulo Nozolino (já na segunda edição).

Uma das características desta Série Ph. é o trabalho desenvolvido em conjunto com os autores nos seus estúdios e ateliers, de forma a poder publicar imagens inéditas e criar narrativas visuais diferentes de outras edições.

*Foto de capa: Renascença – Sapo

Comentar