Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Novembro 19, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Inaugurações do Mercado Municipal e da Oficina da Tigelada marcam Dia do Município em Proença

Inaugurações do Mercado Municipal e da Oficina da Tigelada marcam Dia do Município em Proença
José Lagiosa

As inaugurações do Mercado Municipal, em Proença-a-Nova, e da Oficina da Tigelada, no Pergulho, marcaram o Dia do Município de Proença-a-Nova, comemorado esta quinta-feira, 13 de junho, tendo a Sessão Solene, realizada nos Paços do Concelho, abordado o tema da economia circular e dos seus contributos para a sustentabilidade ambiental.

“Nas duas obras que hoje teremos oportunidade de inaugurar também está subjacente a preocupação de regenerar: no mercado municipal utilizámos estruturalmente o edifício existente, readaptando-o e tornando-o mais eficiente, e na nova Oficina da Tigelada, a utilização da antiga escola primária voltará a dar um contributo para a sociedade, não na transmissão de conhecimento direto que foi o seu objetivo primeiro, mas hoje potenciando o conhecimento através de vários recursos endógenos que na tigelada incluem a caprinocultura, a apicultura, os ovos – e aqui com importante expressão industrial no concelho – e o limão, recurso já existente mas que hoje emerge com outro potencial de valor”, referiu João Lobo, presidente da Câmara Municipal.

Foto: Rádio Castelo Branco

O presidente da autarquia salientou a necessidade de se adotar um novo modelo económico, assente no conceito circular que pressupõe a otimização dos recursos ao longo de toda a sua vida útil, em que os resíduos de uns se tornam matéria-prima de outros, promovendo a reutilização, a recuperação e a reciclagem.

João Lobo recordou os apoios que o Município tem disponíveis para a regeneração urbana, com reduções ao nível do IMI para quem incluir “nas suas intervenções a correção térmica e, dessa forma, ganhos de energia, e o reaproveitamento das águas das coberturas para uma nova utilização”.

Na perspetiva do autarca, a Escola Ciência Viva, o trabalho desenvolvido pelo Centro Ciência Viva da Floresta e os eventos promovidos pelo município, como o Biodiv Summit ou as Jornadas Internacionais dedicadas à resinagem, são um bom exemplo de como a educação pode contribuir para incorporar estes conceitos.

Os restantes intervenientes na Sessão Solene focaram a urgência de se tomarem medidas agora para um futuro mais sustentável.

João Paulo Catarino, presidente da Assembleia Municipal, referiu mesmo que a mudança está aí, “se calhar mais cedo do que aquilo que prevíamos”, referiu.

“No contexto do nosso concelho o capital material de maior relevância é a biomassa florestal; no entanto, existem mais cadeias de valor que podem ser promovidas por via de estratégias de economia circular, ampliando e diversificando o seu perfil industrial, assente no uso produtivo e regenerativo do capital natural”.

André Dias, representante da bancada do PS, chamou a atenção para números alarmantes, que apontam para o facto de estarmos a esgotar em alguns meses os recursos disponíveis para todo o ano.

“Em Proença-a-Nova temos todas as capacidades de executar esta mudança para uma casa global mais sustentável. Para isso, temos de nos focar em três fases: aumentar o nosso conhecimento com formação, planearmos a longo prazo e conseguirmos executar esse planeamento”.

Para Francisco Grácio, representante da bancada do PSD, as ações de um pequeno território como Proença-a-Nova podem fazer a diferença.

“Se todos os pequenos territórios se preocuparem com o ambiente e o tratarem condignamente, sem com isso prejudicar o inerente desenvolvimento económico, sustentado e controlado, estou em crer que estaremos a contribuir para um mundo menos poluído e certamente mais saudável para todos os seres vivos da terra”.

Durante a inauguração do Mercado Municipal, foram distribuídos sacos de pano que convidam à criação de novos hábitos pelos consumidores, através da sua reutilização e redução progressiva do uso de sacos de plásticos.

Já na Oficina da Tigelada, o apoio da Associação do Pergulho e Murteira será fundamental para, a partir de agora, se potenciar o espaço para promover o doce que está na corrida às 7 Maravilhas Doces de Portugal.

Comentar