Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Setembro 16, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

O Alienista de Machado de Assis em Alcains e Alpedrinha com a Alma Azul

O Alienista de Machado de Assis em Alcains e Alpedrinha com a Alma Azul
José Lagiosa

Para assinalar os 180 anos do nascimento de Machado de Assis, o autor mais importante da Literatura Brasileira, a Alma Azul dinamiza duas sessões dedicadas ao seu extenso conto “O Alienista”, às 11 horas, na Vila de Alpedrinha e às 19 horas, na Ermida de Santa Apolónia, em Alcains, no próximo dia 21, sexta-feira.

O Alienista – Edição Alma Azul – 2001

Em junho de 2001, a Alma Azul editou pela primeira vez “O Alienista” em livro, no que contribuiu decisivamente para que o conto de Machado de Assis integrasse a lista de obras de Leitura recomendadas no ensino secundário, em Portugal.

Será a partir do texto hilariante de Machado de Assis, contruído em redor de um médico formado na Universidade de Coimbra, que regressa ao Brasil para cuidar dos habitantes de Itaguaí, notando em cada um deles pormenores singulares que revelam ao “sábio” o estado mental de toda a comunidade, que a Alma Azul divulga um dos autores mais extraordinários da Língua Portuguesa.

No dia em que se completam 180 anos do nascimento do autor brasileiro, a Alma Azul promove Leituras e oferece livros e revistas com textos de Machado de Assis em vários lugares públicos de Alpedrinha.

Ao final da tarde, a partir das 19 horas, será através de uma Comunidade de Leitores que se reunirá para Ler e comentar o conto O Alienista, no espaço da Ermida de Santa Apolónia, que se evocará o talento e o humor de Machado de Assis.

Machado de Assis

A sessão está aberta a todos os interessados que recebem pela sua presença, a oferta um livro de Machado de Assis .

Nascido a 21 de junho de 1839, no Morro do Livramento, no Rio de Janeiro, órfão e com uma infância de pobreza, doente crónico, nada previa o génio que revelaria em “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, “Dom Casmurro” e “Memorial de Aires”, obras primas da Língua Portuguesa.

Deixou escritos e publicados dezenas de contos, destacando-se entre eles “O Alienista” “A Chinela Turca” e “Missa do Galo”.

Esta iniciativa integra o programa do Festival de Língua Portuguesa – A Língua Toda 2019, que a Alma Azul realiza desde 2009.

Comentar