Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Agosto 18, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Presidente da CCDRC acompanhou pela segunda vez a entrega de habitações afetadas pelos incêndios em Oleiros

Presidente da CCDRC acompanhou pela segunda vez a entrega de habitações afetadas pelos incêndios em Oleiros
José Lagiosa

A professora Ana Abrunhosa, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) esteve, na sexta feira, dia 31 de maio, pela terceira vez em Oleiros no sentido de acompanhar a entrega das habitações integradas no Programa de Apoio à Reconstrução de Habitações Permanentes – PARHP – criado após os incêndios de 15 de outubro de 2017.

Desta feita, foram entregues cinco habitações na Freguesia de Álvaro, ficando prevista para o mês de julho a entrega das restantes.

Na cerimónia de entrega das chaves, o presidente da Câmara Municipal de Oleiros, fez questão de agradecer publicamente “todo o esforço e trabalho que a Prof. Ana Abrunhosa tem feito para conseguir trazer divisas para esta zona e isso tem que se enaltecer. Não só o concelho de Oleiros mas todo o País deve ficar-lhe grato”.

Para Fernando Marques Jorge, “continuamos a ser um país muito burocrático. Por isso, em meu nome e de toda a Câmara Municipal, peço desculpa pelos atrasos. No entanto, com toda a certeza que fizemos de tudo para acelerar este processo o máximo possível”.

A presidente da CCDRC frisou uma vez mais que “Oleiros é um exemplo onde as coisas correram muito bem, em primeiro lugar pela Câmara Municipal, em segundo lugar as empresas…foram um exemplo”.

A colaboração de todos os intervenientes permitiu que, apesar de não ter sido dos primeiros Municípios a ver os projetos aprovados, Oleiros é neste momento, o Município onde o processo está mais avançado.

Ana Abrunhosa terminou a sua intervenção agradecendo a paciência das famílias: “espero que gostem das vossas casas e que elas vos façam ultrapassar a tristeza que passaram”.

Para a CCDRC, assim como para todos os intervenientes, existe a noção de que a espera pode ter sido longa para as famílias, mas a certeza de que o tempo pareceu pouco para quem operacionalizou todo este processo e as suas implicações legais.

Comentar