Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Dezembro 11, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Atividades Ciência Viva no Verão em Rede em Proença-a-Nova com elevada procura

Atividades Ciência Viva no Verão em Rede em Proença-a-Nova com elevada procura
José Lagiosa
Pub

As atividades que o Centro Ciência Viva da Floresta organiza no âmbito do programa nacional Ciência Viva no Verão em Rede, de participação gratuita, estão a registar uma elevada procura, havendo já iniciativas com as inscrições em lista de espera.

É o caso de “O Ouro das Portas de Almourão”, atividade agendada para 27 de julho e que, numa parceria com Geopark Naturtejo, convida os participantes “a vestir a pele de garimpeiros e vir experimentar utensílios e técnicas milenares” que se utilizavam na exploração do ouro que, nesta região, “poderá remontar ao período romano, como hoje ainda se pode ver pelas inúmeras conheiras nos terraços fluviais que foram sendo explorados até quase aos dias de hoje”.

Também “Os Segredos do Vale Almourão”, a realizar no dia 30 de agosto, já tem lista de espera.

Com início às 9h30, o convite desta atividade é descobrir o Vale Mourão, “uma impressionante garganta escavada pelo Rio Ocreza nos últimos dois milhões de anos que divide a Serra das Talhadas em duas poderosas cristas quartzíticas. Os Segredos do Vale Mourão serão desvendados numa emocionante viagem no tempo que inclui fósseis do Paleozóico, rochas dobradas, colisão de placas tectónicas, vestígios da última glaciação, antigas minas romanas e garimpeiros de ouro”.

A boa notícia é que ainda existem três vagas para a mesma atividade que decorrerá a 10 de agosto.

“Dizem cobras e lagartos do príncipe sapo!” realiza-se no dia 31 de julho, às 8h00, e inclui um passeio a diferentes habitats para a observação de anfíbios e répteis, que terminará no Centro Ciência Viva da Floresta, onde será realizada uma visita acompanhada ao charco aqui existente, com “uma pequena apresentação teórica sobre os anfíbios e répteis e os mitos a eles associados”.

 No dia 10 de agosto, a partir das 9h00, a Praia Fluvial do Malhadal será palco da observação de diversas galhas de plantas nativas, depois de uma breve introdução ao tema dos bugalhos (ou galhas): “o que são, como se formam e os diferentes níveis tróficos a eles associados e falaremos também da utilização de algumas galhas pelo homem”.

Ainda para o dia 10 de agosto estão agendadas duas outras atividades: “Minúsculos Monstros e Super-Heróis”, às 14h30, que levará os participantes a descobrir os habitantes do charco do Centro Ciência Viva da Floresta e a observar à lupa alguns grupos mais curiosos de fauna e flora aquáticas.

Às 22h00, a atenção será virada para as estrelas:  em parceria com Associação de Física da Universidade de Aveiro, haverá sessão de observação noturna ao telescópio.

No domingo, 11 de agosto, a atividade “Ch’Arcas de Noé” começa às 9h00 com uma apresentação teórica sobre zonas húmidas e invasões biológicas em Portugal, à qual se seguem visitas a várias charcas para observação da fauna e flora aquáticas, com destaque para espécies ameaçadas e espécies invasoras.

No dia 14 de agosto, a praia fluvial da Fróia recebe, a partir das 9h30, a iniciativa “(Re)descobrir as águas de Portugal e do Geopark Naturtejo”, uma espécie de “acqua challenge, uma prova cega de águas que apela à identificação das propriedades da água através dos sentidos, tentando reconstituir o seu percurso subterrâneo”.

Para participar nestas atividades é necessária inscrição prévia na página www.cienciaviva.pt/veraocv/2019/index.asp, que explica todos os passos necessários para formalizar a inscrição.

No caso das atividades que já não têm vagas, é possível inscrever-se, ficando em lista de espera para o caso de haver alguma desistência.

Comentar