Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Setembro 19, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Portugal vai ter o maior Túnel da Europa para Ensaios de Termodinâmica

Portugal vai ter o maior Túnel da Europa para Ensaios de Termodinâmica
José Lagiosa

VEÍCULOS DE TRANSPORTE DE PRODUTOS ALIMENTARES

O ISQ inaugura, hoje dia 19 de julho, nas suas instalações de Castelo Branco, um túnel para ensaios a veículos de transporte de produtos alimentares e outros perecíveis, considerado o maior túnel da Europa.

Este ativo é da maior importância no quadro da segurança alimentar no país e no transporte de mercadorias para o estrangeiro e, como tal, importante para a competitividade da economia portuguesa. 

O evento conta com a presença do Ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, e do presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco, Luís Manuel dos Santos Correia.

Para estes testes de alto rendimento, o ISQ criou um Laboratório específico para ensaios termodinâmicos (LABET) em Castelo Branco, sendo uma entidade acreditada para efetuar ensaios e certificações ATP, garantindo a preservação da qualidade dos produtos alimentares (congelados ou ultracongelados) durante o seu transporte.

Túnel para ensaios a veículos de transporte de produtos alimentares e outros perecíveis, considerado o maior túnel da Europa

“A obtenção de ´Certificado ATP´ (acordo relativo ao transporte internacional de géneros perecíveis e aos equipamentos especiais utilizados para esse transporte), é obrigatória para os equipamentos especializados como câmaras frigoríficas montadas em veículos que realizam transportes nacionais e internacionais de produtos alimentares perecíveis em determinadas condições de temperatura e por isso investimos nesta nova infraestrutura de última geração”, refere Pedro Matias, Presidente do ISQ.

Em virtude da crescente procura no mercado, dado que cada vez mais os transportadores nacionais têm interesse neste tipo de transportes e o querem fazer nas melhores condições, “o ISQ decidiu construir um novo túnel de ensaios com capacidade para ensaiar dois semirreboques TIR em simultâneo, o que vai permitir duplicar a nossa capacidade de resposta”, acrescenta Pedro Matias.

No fundo, trata-se de um compartimento gigante onde é possível colocar, ao mesmo tempo, dois camiões TIR e efetuar, durante vários dias, todos os testes necessários para garantir que os alimentos viajam em condições regulamentares e de segurança.

“Temos de garantir que se um determinado produto tem de viajar a uma temperatura estabilizada de por exemplo -5 graus isso acontece em todo o percurso estejam 40 graus de calor no Alentejo ou -30 de frio nos Pireneus”.

Em Castelo Branco o ISQ faz muitos testes para grandes construtores internacionais, caso da Carrier e Thermo king, trabalhando para países como Coreia do Sul, Alemanha, França, Espanha, Itália, Irlanda do Norte ou mesmo China, através de software próprio que desenvolveu para estes ensaios.

“Esta é uma área da maior importância para a competitividade do país e o ISQ já investiu nesta área mais de 3 Milhões de Euros e conta com uma equipa técnica altamente experiente e qualificada”, adianta o Presidente do ISQ.

Por outro lado, o ISQ desenvolveu uma inovadora aplicação de software que permite às Autoridades, através da simples leitura de um QR-Code, que é impresso no Certificado Internacional, detetar de imediato se o certificado é verdadeiro ou falso, através de qualquer smartphone.

“Podem sempre existir no mercado certificados falsos ou falsificados e esta App permite que qualquer Autoridade (GNR, PSP, ASAE, etc.) saiba em segundos se está perante um certificado verdadeiro. O que queremos é garantir a segurança dos alimentos e que os mesmos cheguem em condições aos consumidores finais”.

“As grandes transportadoras nacionais querem estar completamente legalizadas e cumprir todas as regras e esta nova infraestrutura vem dar resposta a isso. Por outro lado, as Autoridade policiais estão também cada vez mais atentas a estas questões e fiscalizam fortemente este tipo de transporte”, conclui Pedro Matias.

Comentar