Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Outubro 18, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Representantes da CPLP reunidos em Idanha-a-Nova para debater sustentabilidade alimentar

Representantes da CPLP reunidos em Idanha-a-Nova para debater sustentabilidade alimentar
José Lagiosa

Tem início hoje, e decorre até domingo, em Idanha-a-Nova, o FISAS – Fórum Internacional Territórios Relevantes para Sistemas Alimentares Sustentáveis, que tem por objetivo debater uma abordagem coordenada visando promover uma urgente transição para sistemas alimentares sustentáveis

O sistema alimentar global estará no centro do debate sobre a sustentabilidade do planeta e do próprio futuro da humanidade.

De acordo com uma nova edição do relatório anual “O estado da segurança alimentar e nutricional no mundo”, publicado ontem pela ONU, estima-se que cerca de 820 milhões de pessoas não tiveram acesso a comida suficiente em 2018 – o terceiro ano consecutivo em que este número aumenta – ao mesmo tempo em que a obesidade e as doenças relacionadas à má alimentação tornam-se uma epidemia mundial e continuam a aumentar em todas as regiões, inclusive entre crianças em idade escolar.

Esses dados destacam o imenso desafio de alcançar o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável do Fome Zero (ODS 2) até 2030 e exige uma transformação profunda dos sistemas alimentares para fornecer dietas saudáveis produzidas de forma sustentável para uma população mundial em crescimento.

É este o pano de fundo que traz até Idanha-a-Nova o Diretor-Geral da FAO, José Graziano da Silva, o Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural de Portugal, Luís Capoulas Santos e Ministros e representantes de governo da CPLP – Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, bem como representantes ACTUAR e da INNER – Rede Internacional das Bio-Regiões.

Também de hoje até o dia 21 de julho, inúmeros produtores de Portugal, Espanha, França, Brasil, São Tomé e Príncipe, Angola e Cabo Verde irão partilhar boas práticas de desenvolvimento rural, sendo algumas delas premiadas e reconhecidas neste âmbito.

Trata-se, em grande parte, de agricultores familiares, homens e mulheres, que no seu dia-a-dia e através da sua atividade, contribuem para a promoção da biodiversidade, da transmissão de conhecimentos tracionais e da implementação de dietas saudáveis, tendo sempre por base modos de produção sustentáveis.

“O FISAS será um evento único, que reunirá durante cinco dias mais de uma centena de pessoas e de experiências de diversos países para construir propostas para programas e políticas que nos permitam ter um sistema alimentar sustentável”, explica Francisco Sarmento, Chefe do Escritório da FAO em Portugal e junto da CPLP.

Para Armindo Jacinto, presidente do Município de Idanha-a-Nova, a primeira bio-região de Portugal, “o FISAS será também uma oportunidade para todos nós, também consumidores, podermos participar e colaborar na construção de um mundo mais sustentável”.

Do FISAS sairá a “Declaração para a Promoção de Sistemas Alimentares Sustentáveis”, um documento de referência para a ação governativa e programas que se destinem a promover uma urgente mudança para sistemas alimentares mais sustentáveis em Portugal e noutros países da CPLP, compromisso que dá continuidade aos acordos políticos estabelecidos na “Carta de Lisboa”, resultante da Reunião de Alto Nível sobre Agricultura Familiar e Desenvolvimento Sustentável na CPLP, realizada em 2018, em Lisboa.

Espera-se também durante o evento o anúncio de projetos concretos para a promoção da agricultura familiar sustentável e da agroecologia na CPLP, com o apoio da FAO.

O programa completo do FISAS e as inscrições estão disponíveis em www.fisas.org.

Foto de Capa: ©Municipio Idanha a Nova

Comentar