Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Setembro 19, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Aluno de doutoramento da UBI cria aplicação para participação pública

Aluno de doutoramento da UBI cria aplicação para participação pública
José Lagiosa

Ferramenta para smartphone foi criada para permitir a identificação de problemas e envio de propostas para os espaços públicos

 “Participo.eu” é a designação de uma aplicação desenvolvida por um estudante do 3.ºCiclo/Doutoramento em Sociologia da Universidade da Beira Interior (UBI), para apoiar a participação pública na identificação e priorização de problemas urbanos.

A ferramenta foi criada pelo aluno Henrique Oliveira, sob orientação da docente do Departamento de Sociologia, Catarina Sales, com a parceria da Novageo Solutions.

A aplicação para smartphone já se encontra disponível na Android Play Store.

Henrique Oliveira, que é também arquiteto e urbanista, lançou uma aplicação de utilização simples, que possibilita a publicação de uma fotografia do local para o qual se tem uma proposta, sugestão ou reclamação, acompanhada de um pequeno texto explicativo e da localização GPS do telemóvel.

As entidades públicas – como juntas de freguesias, por exemplo – que aderirem ao sistema, receberão por e-mail a notificação das “postagens” efetuadas relativas às suas áreas.

A aplicação poderá também ser utilizada por associações de moradores ou outros grupos que, de forma semelhante às autarquias, poderão contratar, a custo muito reduzido, o serviço de notificação das postagens relativas à sua área de interesse.

De momento, as participações são anónimas e não são públicas, mas em breve será possível criar perfis e visualizar as publicações dos outros utilizadores.

“O principal objetivo desta aplicação é dar voz às populações, que são quem conhece e vivencia os problemas dos espaços públicos das grandes ou pequenas localidades, mas que não dispõem de um meio fácil e acessível para relatar e propor soluções para problemas existentes. Com esta nova ferramenta, o meio para fazer a participação estará no telemóvel”, de acordo com Henrique Oliveira.

Ainda no decorrer do trabalho académico no âmbito do qual foi criada “Participo.eu” vão ser promovidas caminhadas com a população, para incentivar o envolvimento cívico na identificação de problemas urbanos, como acessibilidades, barreiras urbanísticas, segurança, iluminação e na elaboração de propostas de melhorias.

Numa segunda fase, a participação terá lugar em fóruns presenciais e virtuais, para discussão e definição de ações coletivas e prioridades, para os quais as autarquias e outras entidades serão convidadas a participar e contribuir.

Este trabalho parte do “princípio que da participação pública emergem bons frutos, resultados reais, soluções endógenas, que, atendendo adequadamente às necessidades das pessoas e comunidades, promovem a integração social e o sentimento de pertença e, consequentemente, reduzem os vandalismos e aumentam a confiança no trabalho dos autarcas”, conclui o autor da aplicação.

Comentar