Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Setembro 15, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Ministro Adjunto e da Economia ouviu os empresários proencenses

Ministro Adjunto e da Economia ouviu os empresários proencenses
José Lagiosa

O Ministro Adjunto e da Economia ouviu os empresários do concelho no final da reunião de balanço do Programa de Revitalização do Pinhal Interior (PRPI) que teve lugar nos Paços do Concelho, a 4 de setembro.

Depois da visita às empresas Outsystems, Babel e Procerâmica, este encontro teve como principal objetivo ouvir “aqueles que todos os dias fazem acontecer neste território e ouvir da parte do Governo aquilo que está perspetivado para os próximos anos”, conforme frisou o presidente da Câmara Municipal, João Lobo, no início da reunião.

Para o ministro “estar em diálogo com as empresas e os empresários é para o Governo muito importante. Entendemos que não é possível assegurar o crescimento sustentado do nosso país, desperdiçando o potencial existente no nosso território e muito desse potencial está nestes territórios descritos como de baixa densidade”.

Da parte dos empresários, a falta de recursos humanos, a distância relativamente aos mercados, aos centros de formação, às instituições de decisão e de financiamento e os custos das portagens foram as principais dificuldades como entraves ao crescimento das suas empresas.

Essas preocupações têm sido uma prioridade para o Governo, tal como explicou Siza Vieira, nomeadamente através “dos planos de valorização do interior e as medidas de discriminação positiva e os incentivos ao investimento empresarial” e acrescentou que “estamos a atravessar um momento de alguma estabilidade económica e de criação de emprego que já não víamos há tempos. Da parte do governo tentamos criar condições de estabilidade na condição da política financeira e económica como na criação de um ambiente favorável para que os empresários possam desenvolver a sua atividade, mas na realidade sabem todos que sem o vosso trabalho e empenho e a vossa luta diária não há economia”.

O ministro ficou a conhecer o tecido empresarial do concelho de Proença-a-Nova, onde 54,5% das empresas pertence ao sector terciário e são responsáveis por empregar 56% da população, 27,3% integram o setor secundário e empregam 34% das pessoas e, finalmente, 18,2% fazem parte do setor primário e dão emprego a 10% da população.

Recorde-se que o concelho de Proença-a-Nova tem sete empresas reconhecidas como PME Líder, quatro das quais acumulam a distinção de PME Excelência referente ao ano de 2018, sendo o concelho com maior peso da CIMBB com estas distinções, tendo em conta critérios como a população e dimensão (representando 57% do total do tecido empresarial do concelho).

Comentar