Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Setembro 15, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Poeta António Salvado participou em palestra sobre António Correia de Oliveira em Castelo Branco

Poeta António Salvado participou em palestra sobre António Correia de Oliveira em Castelo Branco
José Lagiosa

A Real Associação da Beira Interior, no dia 2 de Setembro, uma palestra na Biblioteca Municipal, evento que teve o apoio da Câmara Municipal de Castelo Branco.

A palestra foi subordinada ao tema – “Conhecem a poesia de António Correia de Oliveira?”, e contou com a participação do professor, investigador e poeta António Salvado.

Na Mesa esteve o orador e o vice-Presidente da Real Associação da Beira Interior, Luís Duque-Vieira.

 António Correia de Oliveira nasceu em São Pedro do Sul, no ano de 1860 e faleceu em Esposende, no ano de 1970.

Estudou no Seminário, foi jornalista sendo redactor do jornal “Diário Ilustrado” e colaborador das revistas “Águia”, “A Arte” e “Seara Nova”.

 Correia de Oliveira era poeta, Monárquico assumido, católico convicto e praticante, grande patriota e amante de Portugal.

Correia de Oliveira sem possuir formações académicas revelantes, foi sócio da Académia de Ciências de Lisboa e da Academia Brasileira de letras, tendo publicado 80 obras em verso.

 A obra de António Correia de Oliveira valoriza-se pelo propósito de explicar e explorar o sentimento da Portugalidade, em apelo constante à Terra-Mãe.

Três fases iluminam a sua poesia – o segmento lírico – o segmento dramático – o segmento epopeico.

No conjunto vasto da sua obra enfatizamos uma tonalidade popularizante e uma outra a resvalar para fluxos eruditos.

Correia de Oliveira soube e conseguiu, evitar na sua mensagem laivos da poesia simbólica e decadentista dos finais do Século XIX, mantendo-se sempre alheio às novidades “revolucionárias” do futurismo, modernismo, surrealismo e do neo-realismo do Século XX.

Durante a palestra foi declamada poesia por parte de António Salvado, Maria de Lurdes Barata (Milola) e Manuel Costa Alves.

No final do evento Antónia Carvalho cantou o fado.

Comentar