17.8 C
Castelo Branco
Quinta-feira, Abril 22, 2021
No menu items!
Início Nacional Sustentabilidade Alimentar faz "nascer" Laboratório Colaborativo em Idanha

Sustentabilidade Alimentar faz "nascer" Laboratório Colaborativo em Idanha

O Laboratório Colaborativo (CoLab em inglês) FoodLab acaba de ser apresentado publicamente em Idanha-a-Nova, onde tem a sua sede, e visa colocar Portugal na vanguarda da produção alimentar sustentável e com potencial de sequestro de carbono.

O projeto prevê um investimento de cerca de 8 Milhões de Euros nos próximos cinco anos e a criação de mais de 20 postos de trabalho altamente qualificados.

Com o apoio do Município de Idanha-a-Nova, o CoLab junta já 14 parceiros do meio académico e do meio empresarial que vão testar várias tecnologias para melhorar os processos de produção alimentar em termos de mitigação de CO2, no impacto ambiental, no combate às alterações climáticas, no uso nulo de químicos artificiais, na gestão da água, na preservação da biodiversidade e na eficiência de toda a cadeia de valor.

O Presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto, aponta os principais objetivos do projeto: “Com a criação deste CoLab, Idanha quer estar na vanguarda mundial em termos de processos inovadores em ambientes rurais – sejam estes de base tecnológica ou outros – que possibilitem a produção sustentável de alimentos saudáveis a preços competitivos, indo ao encontro das preocupações da Organização das Nações Unidas em termos de alterações climáticas”.

O autarca destaca “o contributo humilde mas ambicioso que este CoLab poderá dar na implementação de soluções para o equilíbrio alimentar e ambiental do mundo”, as quais podem depois ser replicadas noutros territórios.

Armindo Jacinto, ao centro, conduziu os trabalhos da apresentação

Armindo Jacinto adianta que serão trabalhados processos inovadores para “fixar carbono, reduzir a emissão de gases com efeito de estufa, melhorar a gestão da água, preservar a biodiversidade, promover a economia circular e os circuitos curtos de comercialização, e, ao mesmo tempo, criar riqueza e emprego altamente qualificado em territórios de baixa densidade”.

A criação do FoodLab decorre do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido nos últimos três anos pela Câmara de Idanha-a-Nova em parceria com a aceleradora BGI, líder do novo laboratório colaborativo, com vista a elevar os níveis de conhecimento, inovação e sustentabilidade no Mundo Rural.

Gonçalo Amorim, responsável da BGI, explica que “a apresentação pública deste CoLab, após três anos de trabalho árduo, é apenas o início de um longo capítulo que agora se abre. Vamos escrevê-lo a partir de Idanha-a-Nova, um território que alia o melhor da tecnologia ao melhor da tradição e servirá de laboratório colaborativo a 14 parceiros – no momento desta apresentação – todos escolhidos a dedo para representar valências que vão do ensino, à investigação aplicada, às empresas de base tecnológica (incluindo startups) ou à indústria e grandes empresas”.

Na apresentação do projeto estiveram representadas as instituições de ensino parceiras, designadamente o presidente do Instituto Politécnico da Guarda, Joaquim Brigas, o presidente do Instituto Politécnico de Viseu, João Monney Paiva, o vice-Reitor da Universidade da Beira Interior, José Páscoa, e um representante do Instituto Politécnico de Castelo Branco.

O Laboratório Colaborativo FoodLab tem ainda como parceiros outras instituições e empresas: Algae 4 Future; BGI – Building Global Innovators; Bluegrowth; Centro Municipal de Cultura e Desenvolvimento de Idanha-a-Nova; Cooperativa Agrícola dos Olivicultores do Ladoeiro; Grupo Vera Cruz; Hortas d’Idanha; Iberponics; Mendes Gonçalves; e Sementes Vivas.

As palavras do vice-Reitor da Universidade da Beira Interior na apresentação pública foram de encontro aos méritos do projeto: Idanha é pioneira na criação de um CoLab na Beira Interior porque já estava, de certa forma, a desenvolvê-lo com a BGI antes do Governo promover a sua conceção e financiamento, numa postura própria de quem está na dianteira da inovação.

Refira-se que o Governo promoveu o conceito de Laboratórios Colaborativos (CoLAB) com o objetivo de estimular a criação de emprego qualificado gerador de valor económico e social em Portugal, incentivando modelos de investigação e inovação que juntem empresas, universidades e centros científicos.

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: