13.9 C
Castelo Branco
Quarta-feira, Abril 21, 2021
No menu items!
Início Cultura Poetas de 6 nacionalidades reuniram-se em Castelo Branco para o “ROIZ, Iº...

Poetas de 6 nacionalidades reuniram-se em Castelo Branco para o “ROIZ, Iº Encontro de Música e Poesia Luso-Hispano-Americano”

A cidade de Castelo Branco foi palco, nos dias 18 e 19 de outubro, da primeira edição do “ROIZ – Iº Encontro De Música E Poesia Luso-Hispano-Americano”.

Ilustres personalidades do mundo da escrita poética e da música marcaram presença no evento, que se estendeu a vários locais emblemáticos da cidade, entre o Jardim do Paço, o Museu Francisco Tavares Proença Júnior, a Casa do Arco do Bispo, o Museu Cargaleiro, o Centro de Interpretação do Bordado e o Parque da Cidade.

O encontro, rico em música e poesia, teve como principal objetivo distinguir os vencedores do Iº Prémio Internacional de Poesia António Salvado, que contou com uma surpreendente adesão que ultrapassou os 500 participantes, oriundos de 36 países.

O poeta mexicano Gerardo Rodríguez que recebeu o prémio correspondente pelas mãos de António Salvado, patrono do prémio internacional, de Alfredo Alencart, presidente do júri, de Luís Correia, presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco e de Leopoldo Rodrigues, presidente da Junta de Freguesia de Castelo Branco

Os autores dos poemários vencedores foram a portuguesa Maria João Pessoa, autora do poemário “Emoções Fora da Lei” em língua portuguesa e o mexicano Gerardo Rodríguez, autor do poemário “Poemas de Almanaque para Entretrener Marionetas” em língua castelhana.

Na cerimónia de entrega esteve presente o poeta mexicano Gerardo Rodríguez que recebeu o prémio correspondente pelas mãos de António Salvado, patrono do prémio internacional, de Alfredo Alencart, presidente do júri, de Luís Correia, presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco e de Leopoldo Rodrigues, presidente da Junta de Freguesia de Castelo Branco.

A poeta Maria João Pessoa não marcou presença nesta cerimónia por motivos de saúde.

Realçando a importância de momentos como este para o fortalecimento da ligação entre Castelo Branco e Salamanca, o presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco, Luís Correia, refere que o encontro “é uma demonstração de consistência daquilo que é a política cultural que tem sido feita na cidade e no concelho” e realça o trabalho de estreita cooperação entre a Câmara Municipal e a Junta de Freguesia de Castelo Branco.

Destacando também o aprofundamento da ligação com a cidade de Salamanca, Leopoldo Rodrigues, presidente da Junta de Freguesia de Castelo Branco, afirma que “o nosso empenhamento é total para que o prémio internacional da poesia saia reforçado nos próximos anos e para que mais poetas possam concorrer”.

Jardim do Paço

Participaram no encontro os poetas Alfredo Pérez Alencart (Perú/Espanha), Álvaro Mata Guillé (Costa Rica), António Salvado (Portugal), Artur Coimbra (Portugal), Carlos d’Abreu (Portugal), David Cortés Cabán (Porto Rico), Gerardo  Rodríguez (México), José Pires (Portugal), Juan Carlos Martín Cobano (Espanha), Manuel Costa Alves (Portugal), Manuel Silva-Terra (Portugal), Pompeu M. Martins (Portugal), Teresa Macedo (Portugal) e Victor Oliveira Mateus (Portugal).

Os apontamentos musicais estiveram a cargo da Orquestra Viola Beiroa, Francisco Martins (acordeão),Miguel Ramalho (Flauta Transversal), Filipa Castilho (Violoncelo), na tarde de 18 de outubro e, no dia 19 de outubro, do Grupo de Cavaquinhos da USALBI e do quinteto formado por Ana Paula Gonçalves, Custódio Castelo, José Raimundo, Miguel Carvalhinho e Pedro Ladeira.

As artes cénicas também marcaram presença no evento com a declamação de poesia quinhentista, na zona histórica de Castelo Branco, pelo “Váatão – Teatro de Castelo Branco”.

Realce, também, para a plantação simbólica de duas árvores, no Parque da Cidade, que contou com a participação de Vítor Pimentel e de José Breia Ferreira, presidentes da Junta de Freguesia de Castelo Branco (Açores) e da respetiva Assembleia de Freguesia.

Este encontro que serviu, também, de homenagem ao ilustre poeta albicastrense do século XV que lhe dá nome, João Roiz, permitiu reforçar a estratégia cultural de Castelo Branco, servindo como um incremento à sua dinamização no âmbito nacional e internacional.

Com estreitas ligações à cidade de Salamanca, o “ROIZ” teve a organização conjunta da Câmara Municipal de Castelo Branco e da Junta de Freguesia de Castelo Branco.

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: