Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Abril 1, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Castelo Branco recebeu Encontro Nacional de Politécnicos

Castelo Branco recebeu Encontro Nacional de Politécnicos
José Lagiosa

A 10ª Edição do Encontro Nacional de Politécnicos (ENP), realizou-se nos dias 8, 9 e 10 de Novembro, em Castelo Branco.

“O ENP é organizado pela FNAEESP e, em traços gerais, trata-se de um evento onde os Estudantes definem a política educativa como prioridade”, de acordo com Tiago Diniz, presidente da FederaçãoNacional de Associações de Estudantes do Ensino Superior Politécnico (FNAEESP).

Este evento tem como objetivo primordial contribuir, positivamente, para a construção de uma agenda de desenvolvimento do Ensino Superior”, acrescenta.

Durante o encontro em Castelo Branco

A escolha do local visa afirmar a cidade de Castelo Branco como um pólo de relevância no Ensino Superior, reforçando a importância do país como um todo.

“O Interior tem, certamente, um papel importante no futuro do país”, adianta Tiago Diniz.

O ENP contou com a presença de personalidades ilustres do âmbito do Ensino Superior, nomeadamente o secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Sobrinho Teixeira, o presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos, Pedro Dominguinhos,o diretor Geral do Ensino Superior, João Queiroz, assim como alguns representantes dos Grupos Parlamentares.

Castelo Branco recebeu Encontro Nacional de Politécnicos

Deste Encontro Nacional, concluiu-se que:

Ação Social no Ensino Superior (ES):

Com o objetivo de trazer mais Estudantes ao Ensino Superior, éfulcral o aumento do número de Bolsas de Ação Social e da verba disponibilizada para o efeito.

Nos últimos anos o número de Bolsas de Estudo tem aumentado, mas o dinheiro dirigido a Ação Social direta não.

Para garantir que, como exige a lei, nenhum Estudante deixe de Estudar é urgente aumentar o valor médio da Bolsa de Estudo em Portugal.

Inovação Pedagógica no ES:

O caminho de afirmação de Portugal passa pela maneira como Ensina.

Num caminho de Futuro, onde muitas das profissões do Futuro ainda não são conhecidas, o Ensino Superior necessita de se transformar, flexibilizando currículos, aumentando a autonomia dos Estudantes e criando métodos de Ensino alternativos ao modelo tradicional de sala de aula.

Internacionalização no Ensino Superior (ES):

O Futuro da Internacionalização, são as Universidades Europeias.

Caminhamos para isso.

É preciso considerar os Estudantes neste processo de criação de novas Instituições.

Financiamento:

As instituições de Ensino Superior estão subfinanciadas.

Em muitos casos, as propinasestão a pagar os salários dos funcionários e docentes.

Para o próximo contrato-programa, o financiamento tem de aumentar, garantindo que as condições de Ensino não se degradam ainda mais.

É preciso financiamento, urgente, para manutenção de Infraestruturas.


Comentar