Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Dezembro 14, 2019

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Fora do Lugar de regresso às terras de Idanha com músicos de todo o mundo

Fora do Lugar de regresso às terras de Idanha com músicos de todo o mundo
José Lagiosa

O festival Fora do Lugar está de regresso às terras de Idanha, de 22 de novembro a 7 de dezembro, com músicos e projetos que chegam dos mais variados pontos do Mundo.

A oitava edição do Fora do Lugar volta a “ocupar” os mais invulgaresespaços de Idanha-a-Nova – Cidade Criativa da Música da UNESCO, onde irápromover30 atividadesao longo de três semanas, incluindo sete concertos com prestigiados artistas de nove países: Portugal, Espanha, Inglaterra, Estados Unidos da América, Argentina, Finlândia, Suécia, Grécia e Síria.

“A música dá o mote, num evento que vai mais além e se converte numa experiência única do lugar. É o sabor da terra, uma terra que se revela, se reinventa e persiste em trilhar um caminho feito de legados, mas de rosto voltado para o futuro. Certamente por isso, Idanha-a-Nova e o Fora do Lugar se entendem tão bem”, refere Armindo Jacinto, presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova.

Resultado da parceria entre a Arte das Musas e o Município de Idanha-a-Nova (e com o apoio do Ministério da Cultura e da Direção Geral das Artes), o Fora do Lugar – Festival Internacional de Músicas Antigas é uma proposta inspirada no mundo rural, virada para o país, a Europa e o Mundo.

Ainda nas palavras de Armindo Jacinto, “a criatividade, a inovação, a sustentabilidade e a partilha e participação social assumem hojeuma dimensão global no município de Idanha, mais ainda enquanto Cidade Criativa da UNESCO na Música. Neste ponto, o Fora do Lugar é um reflexo singularmente brilhante, espécie de feixe orientador, que leva Idanha pelo mundo, estimulando um olhar atento sobre o papel crucial a desempenhar pela ruralidade nos dias de hoje”.

Fora do Lugar 2019 – Caminhada Birdwatching SPEA – Copyright – Hehaden

Com a direção artística de Filipe Faria, o Fora do Lugar é, efetivamente, um dos projetos culturais nacionais mais inovadores.

Filipe Faria explica que o evento “põe em diálogo diferentes formas e tempos, desafiando a uma nova atitude perante as músicas antigas, e abordando, de uma forma inovadora, os diálogos decorrentes dos conceitos binómios de erudito/popular e antigo/contemporâneo”.

O diretor artístico enfatiza o contributo do Fora do Lugar “para a afirmação do mundo rural enquanto espaço criador e capaz de suscitar novas dinâmicas sem perder de vista as suas raízes”.

A programação principal tem início no dia 22 de novembro, em Idanha-a-Velha, na histórica Sé Catedral, com o projeto Alternative History – liderado pelo famoso tenor inglês John Potter (Hilliard Ensemble, etc…) –, que envolve músicos da Inglaterra, Suécia, Argentina e EUA.

Fora do Lugar 2019 – Caminhada Birdwatching SPEA – Copyright – Hehaden

Imensamente inovador, este projeto conduz-nos a um universo paralelo, a uma imagem sonora de uma história alternativa com a música dos compositores renascentistas Dowland e Campion em diálogo com música escrita especialmente para o consort por músicos de rock como John Paul Jones (Led Zeppelin), Tony Banks (Genesis) ou Sting.

Um dia depois, chega das terras frias da Finlândia a espantosa KaroliinaKantelinen, uma das últimas representantes do canto tradicional carélico.

No dia 23 de novembro, no Ladoeiro, Karoliina traz-nos o seu canto étnico a um espaço invulgar, que não poderia ser mais fora do lugar: um hangar agrícola em funcionamento, no meio de dióspiros e abóboras.

Na semana seguinte, a oitava edição do Fora do Lugar visita a pequena aldeia de Toulões, no dia 29 de novembro, e leva o virtuosismo do Ensemble Allettamento, de Mario Braña Gómez e Elsa Pidre Carballa, a uma viagem através da música dos séculos XVI e XVII.

No sábado, 30 de novembro, é a vez dos Milo KeMandarini Quartet (Espanha, Grécia) trazerem música mediterrânea à Noite Cheia do Festival (com exposições, concertos, gastronomia e cinema documental), a partir das 20h30.

O último fim-de-semana começa com o Concerto Campestre (Portugal), a 6 de dezembro, em Segura, que faz uma festa à volta das danças, folias, chacones, passacailles e outros ostinatos inspirados nas Festas do Rei Sol, Louis XIV.

Fora do Lugar 2019 – Concerto – Waed Bouhassoun (Síria) – Copyright – François Guenet

 O Fora do Lugar termina, no dia 7 de dezembro, novamente em Idanha-a-Velha, com a fabulosa cantora e tocadora de oud, Waed Bouhassoun (Síria), que descreve a sua música, muito ligada às suas raízes, como a expressão da sua própria identidade…Waed canta o amor pelo seu país, a Síria, e a nostalgia que sente pela sua terra natal e por Damasco, a cidade da sua juventude.

O Fora do Lugar promove ainda um conjunto alargado de atividades paralelas nestastrês semanas e oito dias de programação, para além dos sete concertos principais – um dos quais secreto (o público só sabe a hora do concerto, não sabe local nem intérpretes) e sujeito à reserva de um código secreto de entrada.

No total são 28 atividades entre concertos, workshops com os músicos convidados, um intenso programa educativo de música e corpo, a fabulosa gastronomia regional, caminhadas na natureza, cinema documental, fotografia, arte sonora, exposições… e novas parcerias com o Doclisboa, o Geopark Naturtejo da UNESCO ou a SPEA – Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves.

A entrada em todos os concertos é gratuita sujeita à lotação das salas. Nas restantes atividades é necessária inscrição prévia (também ela gratuita) através dos contactos do Festival.

O programa detalhado pode já ser consultado no sitewww.foradolugar.pte na página do Facebook www.facebook.com/foradolugar

*Foto de capa: Fora do Lugar 2019 – Concerto – Alternativa history Quertet (Inglaterra, Suécia, Argentina, EUA) Copyright – Guy Carpenter

Comentar