17 C
Castelo Branco
Quinta-feira, Outubro 1, 2020
No menu items!
Início Nacional Ministra da Coesão Territorial junta a sua voz à defesa da ESGIN

Ministra da Coesão Territorial junta a sua voz à defesa da ESGIN

A Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, visitou no dia 17 de dezembro Idanha-a-Nova, acompanhada da secretária de Estado da Valorização do Interior, Isabel Ferreira, e expressou o seu apoio à permanência da Escola Superior de Gestão de Idanha-a-Nova (ESGIN) no concelho raiano, no âmbito da reestruturação do Instituto Politécnico de Castelo Branco.

A defesa da manutenção da sede da ESGIN em Idanha-a-Nova ganhou assim um importante apoio governamental: “A ESGIN é uma escola que me habituei a ver como uma referência para Idanha e para a região”, referiu a Ministra, “e sei que o Instituto Politécnico de Castelo Branco encontrará uma solução [no seu processo de reestruturação] que acautele os receios de Idanha e mantenha aqui a ESGIN”.

Ana Abrunhosa sublinhou que “não tendo a tutela dos politécnicos, considero que nas regiões do Interior os politécnicos têm um papel fundamental para a coesão territorial, por toda a dinâmica que geram, pelo apoio que dão às empresas, pela criação de emprego e pela formação e fixação de jovens”.

Já dentro do edifício, na cerimónia de receção, Ana Abrunhosa ouviu o presidente da Câmara de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto, garantir que a autarquia“permanece disponível, como sempre esteve, para continuar a apoiar o IPCB a manter a sede da ESGIN em Idanha-a-Nova, com Autonomia Administrativa, Científica e Pedagógica, e com Autonomia Financeira e custos de funcionamento sustentáveis, continuando assim a cumprir a sua missão de desenvolvimento da região e de um país mais equilibrado”.

O autarca explicou que “hoje como quando se instalou o polo da ESTIG em Idanha-a-Nova, há 28 anos, a Câmara de Idanha-a-Nova continua a colaborar e a ser mecenas, facultando o apoio na manutenção das instalações, no pagamento de despesas correntes (água, luz, etc.), de especialistas professores, de catering, na disponibilização de transportes regulares entre Castelo Branco e Idanha-a-Nova, na construção e disponibilização de novas infraestruturas e o seu funcionamento para aulas, como o Monsanto Geo-Hotel Escola, o Restaurante Pedagógico da Sra. Da Graça e o Pavilhão da Feira Raiana”.

Armindo Jacinto lembrou ainda que “a autarquia apoia ainda no pagamento de 50% das propinas dos alunos da ESGIN e no pagamento de outras despesas, tais como serviços de segurança e vigilância na Residência de Estudantes e na sua manutenção, valores estes que em média ascenderam, nos últimos seis anos, a 250 mil euros/ano, que conjuntamente com o investimento feito, neste período, ascendeu a 2,5 milhões de euros”.

Câmara vai investir mais 3 Milhões de Euros na ESGIN

“Ainda está projetado no decurso do próximo ano a reabilitação urbana de 200 camas para estudantes, em Idanha-a-Nova, no âmbito de um protocolo celebrado com a Fundiestamo; a aquisição de 70 computadores para renovar o parque informático da ESGIN; a reabilitação do edifício da ESGIN, projeto integrado no pacto da CIMBB para a eficiência energética, numa candidatura já apresentada ao Centro 2020; a instalação de novas cozinhas, associadas ao CoLab Idanha FoodLab, para apoiar novos cursos nas áreas da Gestão Hoteleira, inovadores e diferenciadores; a abertura do espaço da Discoteca para os alunos da ESGIN e jovens de Idanha terem um local de convívio e lazer nesta vila raiana, minimizando os riscos dasegurança rodoviária; e outros investimentos associados”, adiantou Armindo Jacinto.

No total, a Câmara de Idanha-a-Novaperspetiva fazer um investimento de cerca de mais 3 milhões de euros em despesas correntes e de investimento, nos próximos anos.

Por tudo isto, Armindo Jacinto não tem quaisquer dúvidas: “na verdade, a Câmara de Idanha-a-Nova tem sido mecenas do IPCB e de todas as suas escolas, e não apenas da ESGIN, porque a poupança que esta escola gera com a comparticipação anual média reflete-se na contabilidade geral do IPCB e de todas as suas unidades orgânicas. Mais: quando na gestão da ESGIN e das outras escolas a contabilidade era analítica e correspondia a cada escola, a ESGIN gerava poupanças que foram transferidas para outras escolas”.

Armindo Jacinto terminou a sua intervenção agradecendo o apoio que a Ministra da Coesão Territorial “decidiu dar à luta para manter a nossa ESGIN em Idanha, com todas as suas competências e autonomias”.

Em seguida, o Movimento pela autonomia da ESGIN e o Movimento dos Ex-Alunos da ESGIN entregaram, em mão, à governante uma carta contra o inaceitável encerramento da ESGIN.

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

Central de Biomassa do Fundão: Bloco denuncia que já passaram os 80 dias para obras de melhoramento

Continuam as queixas dos moradores devido ao ruído da Central de Biomassa do Fundão. Na sessão ordinária da...

Lisboa terá programa de Bolsas em homenagem a Alcindo Monteiro proposto pelo LIVRE

Os Deputados Municipais do LIVRE na Assembleia Municipal de Lisboa apresentaram na reunião do passado dia 22 de Setembro uma Recomendação para homenagear Alcindo...

Projeto quer gerar 800 empregos na música, teatro e literatura nos PALOP e Timor

O Instituto Camões escolheu o Dia da Música para apresentar hoje um “projeto inédito” que pretende criar 800 novos empregos nas áreas...

Cristina Rodrigues faz «Tavessia» de Madrid para Castelo Branco

Tem curadoria do espanhol Mateo Feijóo e estará patente no CCCCB - Centro de Cultura Contemporânea de Castelo Branco de 10...

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: