Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Janeiro 18, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

“A Amadia, arte de retirar a casca sem ferir o sobreiro” inaugurada em Penamacor

“A Amadia, arte de retirar a casca sem ferir o sobreiro” inaugurada em Penamacor
José Lagiosa

A exposição “Descortiçar – A Amadia, arte de retirar a casca sem ferir o sobreiro”, da autoria de Paulo Pinto e Sandra Vicente, foi inaugurada, ontem, 7 de dezembro, e estará patente no Museu Municipal de Penamacor até ao próximo mês de janeiro

O Museu Municipal de Penamacor recebe, entre dezembro de 2019 e janeiro de 2020, a exposição de fotografia “Descortiçar – A Amadia, arte de retirar a casca sem ferir o sobreiro”.

Esta mostra foi inaugurada, hoje, dia 7 de dezembro, no âmbito da inauguração do Penamacor Vila Madeiro.

A exposição reúne um conjunto de 30 fotografias de Paulo Pinto e Sandra Vicente, relativas a esta arte ancestral de retirar a cortiça sem ferir o sobreiro e que permite manter a árvore saudável.

A árvore fotografada tem cerca de cinco séculos e fica no Monte do Frade, na freguesia de Penamacor.

Presentes na inauguração da exposição estiveram os autores Paulo Pinto e Sandra Vicente e o presidente da Câmara Municipal de Penamacor, António Luís Beites Soares.

Para Paulo Pinto, esta mostra ganha mais relevo porque é apresentada durante o evento Penamacor Vila Madeiro, que utiliza sobreiros doentes para a fogueira de Natal.

Um aspeto da exposição

Já Sandra Vicente explicou a arte de retirar a cortiça de um sobreiro, que considerou uma “espécie preciosa”.

Para a autora esta exposição resulta de uma parceria de amizade entre os fotógrafos, quem retirou a cortiça e quem montou a exposição.

“O que conta nesta vida é amizade. Espero que desfrutem desta exposição como nós desfrutamos da nossa amizade”.

Finalmente, o presidente da Câmara Municipal de Penamacor recordou que apoiou esta mostra desde a primeira hora, uma vez que este é um território de sobreiros.

Paulo Pinto é natural de Zebreira e a sua primeira “aventura” no mundo da fotografia ocorreu na publicação na revista “VIVER”, sob o tema “Velhos da Raia”, em 2006, tendo-se seguido uma Exposição Coletiva com o mesmo nome.

É fotógrafo amador e autodidata, tendo tidoo prémio em fotografia com maior destaque num concurso realizado pela revista National Geographic, em 2013, que pretendia escolher a melhor fotografia das aldeias históricas.

Já Sandra Vicente é natural de Penamacor.

A primeira participação em publicaçõesocorreu, tal como com Paulo Pinto, na Revista “VIVER” sob o tema “Velhos da Raia”, em 2006.

“No Acaso” é a primeira exposição em nome pessoal, que aconteceu em julho de 2009, e que foi apresentada em todo o distrito de Castelo Branco.

Ainda em 2009, ganhoudois prémios na Hungria, no âmbito do “The European rural word, as I see it”, uma competição internacional, onde participou com duas fotografias.

Uma fotografia ganhou o 1º prémio do Público e ambas foram expostas em Szolnok e, posteriormente, em Bruxelas.

Ambos têm blogs dedicados à fotografia e começam a surgir fotografias em diversos jornais, revistas, sites, entre outros.

Comentar