Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Janeiro 21, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Livro da 2ª edição do Prémio Literário Pedro da Fonseca apresentado na Casa das Associações

Livro da 2ª edição do Prémio Literário Pedro da Fonseca apresentado na Casa das Associações
José Lagiosa

O Município de Proença-a-Nova e a editora Alma Azul apresentaram, no dia 7 de dezembro na Casa das Associações, o livro “Prémio Literário Pedro da Fonseca” com os textos vencedores da segunda edição deste concurso: “Encomendação”, de Lucília Nunes, e “Gente de bem”, de Inês Montenegro, que venceram respetivamente nas categorias de poesia e prosa, e ainda a Menção honrosa atribuída ao conto “Outras Vidas” de Carlos Paixão Lopes.

A publicação apresenta ainda um enquadramento histórico e antropológico sobre estes dois rituais de Pedro Antunes, “Eco da Dávida – uma introdução aos peditórios cerimoniais das Janeiras, Reis e Encomendação das Aldeias nas aldeias de Proença-a-Nova”.

João Lobo, presidente da Câmara Municipal, reforçou a importância destes dois temas na comunidade que ainda hoje “dizem muito às pessoas, quer do ponto de vista cultural, quer religioso e isso também se traduziu na quantidade e qualidade de trabalhos que rececionámos. Este livro tem três obras, os dois vencedores na prosa e poesia, respetivamente, e uma menção honrosa, o que traduz a dificuldade que o júri teve na análise das obras. A estratégia do Município é valorizar o que é nosso, não deixando cair as nossas tradições no esquecimento”.

Pedro Antunes, que viveu quase um ano na aldeia de Corgas para escrever a sua tese de doutoramento, teve a oportunidade de testemunhar estes rituais e a “maneira como este património social e cultural está presente na experiência das pessoas, bem como o compromisso de voltar à terra para integrar os grupos que são uma forma de dinamismo e regeneração social. O Município tem feito um trabalho interessante a partir de uma abordagem literária, cultural e artística das suas tradiçõese é rica a experiência de como estes rituais são vividos, os afetos que as pessoas têm, no caso das Corgas, a tradição vai sendo cumprida com um valor muito importante sobretudo para as pessoas da localidade. Estes poemas e estes contos mostram o modo como estão impressos na memória social destas pessoas. Foram imensos textos que recebemos e as imagens que transmitem são belíssimas”.

Imagem essa que Lucília Nunes, uma das autoras vencedoras presentes na cerimónia, ainda tem presente e que serviu de inspiração para escrever os poemas que versejam sobre “as lembranças de criança dos rituais na aldeia dos avós, naturais da Beira Baixa” e a presença da morte na sua vida profissional de Lucília enquanto enfermeira de cuidados paliativos, que tal como costuma dizer: “as pessoas que morrem ficam connosco”.

A temática da terceira edição do Prémio Literário Pedro da Fonseca já foi revelada e engloba as tradições e pratos típicos como a tigelada, o plangaio, o maranho, o pão e broa em forno de lenha, os que resultem da matança do porco, o afogado da boda, o cabrito assado, o bolo finto, as broas de mel, a salada de almeirão, as filhós, o queijo de cabra ou outros que derivem dos recursos do território e que nele sejam tradição.

Esta escolha, à semelhança dos anteriores, tem como objetivo valorizar o património material e imaterial do concelho, neste caso concreto, a cultura gastronómica.

Para os interessados em concorrer na edição do próximo ano, recordamos que o prazo para a entrega dos trabalhos acontece entre o primeiro dia útil de janeiro até ao último dia útil de fevereiro e está aberto a todos os cidadãos, desde que redigidos em Língua Portuguesa.

O regulamento está disponível no site da autarquia.

Comentar