Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Fevereiro 17, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Arraial de Santo António de volta à zona Histórica de Castelo Branco

Arraial de Santo António de volta à zona Histórica de Castelo Branco
José Lagiosa

O grupo de moradores, ex-moradores e amigos e amigas do Bairro do Castelo pretende promover o tradicional arraial de Santo António, na zona histórica de Castelo Branco.

Para além do arraial popular com boa sardinha e muita animação, pretende-se enfeitar algumas ruas do Castelo e promover as Marchas de Santo António e, claro, o programa religioso.

Para tal, torna-se necessário a ajuda de todos e de todas que queiram, com a sua boa vontade, contribuir para esta iniciativa, que está a ser trabalhada de uma forma comunitária, envolvendo pessoas e instituições públicas e privadas.

Poderão fazê-lo de muita formas, como por exemplo, ajudar a fazer os enfeites, costurando ou bordando os mesmos, contado histórias e cedendo fotos/imagens de antigos arraiais, dar tecidos que já não necessitam ou voluntariando-se para marchar.

Santo António

Existem três espaços de entrega de materiais, levantamento dos moldes das figuras a costurar/bordar ou de troca de informação que são a Casa de Infância e Juventude de Castelo Branco, Escola Básica do Castelo e o Café Relíquia do Castelo.

Para mais informações contactar o e-mail bairrocriativo2020@gmail.com.

A iniciativa conta já com a parceria da Câmara Municipal de Castelo Branco, Junta de Freguesia de Castelo Branco, Paróquia de São Miguel da Sé, Cáritas de Castelo Branco, Casa de Infância e Juventude (CIJE), Escola Básica do Castelo, Claras em Castelo Branco – Party & Cake, Supermercados Super X e Café Relíquia do Castelo, Guida – Atelier de Costura, mas está aberta à participação de outras instituições.

Esta é uma iniciativa de um grupo de moradores, ex-moradores e amigos e amigas do Bairro do Castelo, que pretende promover iniciativas que contribuam para o reviver do mais antigo bairro de Castelo Branco, umas mais visíveis, outras menos visíveis, mas tendo sempre como centro as suas gentes, trabalhando com elas e para elas.

Comentar