24.4 C
Castelo Branco
Quarta-feira, Setembro 22, 2021
No menu items!
InícioCulturaProença-a-Nova foi palco de uma palestra dedicada a Pedro da Fonseca

Proença-a-Nova foi palco de uma palestra dedicada a Pedro da Fonseca

A Real Associação da Beira Interior, com apoio da União de Freguesias de Proença-a-Nova e Peral, organizou, no dia 27 de Fevereiro, uma palestra subordinada ao tema “Pedro da Fonseca S. J.”.

Foi orador convidado o professor, investigador e historiador António Manuel Silva que nos últimos anos se tem dedicado ao estudo da História Local e Regional do Pinhal Interior Sul (PIS).

No salão nobre do edifício da Junta, na Mesa esteve o orador, o vice-presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova, João Manso, o presidente da União de Freguesias de Proença-a-Nova e Peral, Pedro Lopes e o presidente da Juventude Monárquica da Real Associação da Beira Interior, Rui Mateus.

 O orador começou por referir a personalidade multifacetada de Pedro da Fonseca e a sua dispersão em múltiplos campos do saber, do pensamento e da ação.  

Nascido em Proença-a-Nova, em 1528, ingressou na Companhia de Jesus aos 20 anos e, na casa dos 30, já era cognominado de “Aristóteles Lusitano”.

Distinguiu-se na renovação do pensamento filosófico português no século XVI e a sua influência estendeu-se ao longo do século XVII em muitas cátedras europeias.

Para além de professor de filosofia e teologia (foi professor na U. Évora e Reitor do Colégio dos Nobres, em Coimbra) distinguiu-se como conselheiro do papa Gregório XII, do rei Filipe II, que nutria por ele um respeito enorme, ocupou cargos de responsabilidade na Companhia de Jesus e fundou, em Lisboa, várias instituições de apoio aos mais carenciados.

O palestrante destacou também o aspecto benemérito e bairrista de Fonseca ao oferecer a Proença-a-Nova o terreno para instalar a capela da Misericórdia e a doação do Santo Lenho, um pedaço de madeira da Cruz em que Cristo foi cruxificado e que lhe tinha sido oferecido pelo Papa Gregório XIII quando do seu regresso a Portugal.

A relevância de Pedro da Fonseca ainda hoje está patente nas centenas de referências bibliográficas que lhe são dedicadas, nas referências na toponímia de ruas, praças, edifícios e instituições, na organização de eventos culturais com o seu nome, na estatuária …

Faleceu “suavemente” na Casa de S. Roque, em Lisboa, numa quinta-feira, aos 4 dias do mês de Novembro de 1599, às 5 horas da manhã, e refere o seu obituário que “expirado, ficou seu rosto bem assombrado, como que dormindo no Senhor”.

Está sepultado na campa n.º 15 da Igreja de São Roque.

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: