Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Abril 10, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Iniciativa Liberal organiza jantar–debate no Porto sobre descentralização

Iniciativa Liberal organiza jantar–debate no Porto sobre descentralização
José Lagiosa

João Cotrim Figueiredo e Carlos Guimarães Pinto vão estar presentes no jantar-debate que decorre dia 6 de Março, às 20h00, no restaurante BH Foz

A Iniciativa Liberal escolheu a cidade do Porto para receber, já no próximo dia 6 de Março às 20h00 no restaurante BH Foz, o primeiro de uma série de jantares-debate que o partido pretende realizar por todo o País.

João Cotrim Figueiredo, presidente do partido, e Carlos Guimarães Pinto, economista e ex-presidente da IL vão marcar presença neste jantar-debate. 

Os jantares-debate têm como objectivo ouvir a população e as personalidades locais sobre a sua experiência concreta em matérias de interesse para todos, assim como debater essa mesma experiência e os ensinamentos que ela possa encerrar.

A descentralização será o tema central do jantar-debate, não fosse esta uma das bandeiras do partido Iniciativa Liberal.

O partido defende a descentralização e não a regionalização.

“É fundamental que os dois conceitos não se confundam. Somos contra qualquer modelo replicador de estruturas de governo, sem qualquer reforma prévia. Defendemos a descentralização, mas não contem com a IL para qualquer acção a adicionar estruturas de poder e engordar o estado”, afirma João Cotrim Figueiredo, presidente da IL.

Acrescenta ainda que “Portugal precisa de uma descentralização que seja fiscalmente neutra, ou seja, que cada recurso que é atribuído ao poder local seja subtraído do Estado central. Este é o verdadeiro caminho para devolver poder às pessoas, dar poder às comunidades locais, apostando na proximidade”.

A regionalização que está a ser desenhada neste momento, designadamente pelo PS, pretende duplicar recursos, o que é um grande risco, porque no dia em que as pessoas virem que a regionalização apenas serviu para atribuir mais tachos e duplicar estruturas, o apoio à descentralização vai baixar.

De acordo com um relatório recente da OCDE, Portugal é um dos países mais centralistas da União Europeia e, não por acaso, um dos que tem as maiores assimetrias regionais e com mais problemas de corrupção.

O partido defende que é fundamental assegurar que o processo não condene, para sempre, Portugal a ser um país centralista.

Local: BH Foz – Avenida do Brasil, 498, 4150-153 Porto 

Comentar