Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Fevereiro 26, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Póvoa de Rio de Moinhos recebeu palestra sobre “Santa Águeda”

Póvoa de Rio de Moinhos recebeu palestra sobre “Santa Águeda”
José Lagiosa

A União de Freguesias de Póvoa de Rio de Moinhos e Caféde, no dia 9 de fevereiro, organizou uma palestra na Casa da Cultura, evento subordinado ao tema “Santa Águeda”.

O orador convidado foi o Reverendo Padre Miguel Coelho.

Na Mesa esteve o orador, o presidente da União de Freguesias de Póvoa de Rio de Moinhos e Caféde, João Paulo Martinho, o secretário da mesma autarquia, Sérgio Silva e ainda a tesoureira, Célia Freire Cruz.

Antes do início da palestra houve actuação das Adufeiras que pertencem ao Grupo de Leituras de Póvoa de Rio de Moinhos e cantaram a Santa Águeda.

Não se sabe como terá aparecido o culto da Santa Águeda em Póvoa de Rio de Moinhos, mas terá sido a Padroeira da antiga Vila de Ceia (actual Barragem de Santa Águeda / Marateca).

Santa Águeda viveu no Século III tendo falecido em 251.

Aquando o maior Império era o de Roma, muitos foram os cristãos martirizados, sendo Santa Águeda também martirizada ao cortarem-lhe os seios.

O martírio dos cristãos iniciou-se no Século I após a morte de Jesus de Nazaré.

Os romanos quando conquistavam os povos mantinham o culto dos povos conquistados, mas com os cristãos era diferente, pois estes adoravam um Deus único e viam Jesus de Nazaré como o messias.

Os cristãos não aceitavam o culto politeísta de Roma da qual defendia o Imperador como Deus, motivo esse que fez com que fossem perseguidos e martirizados, os seguidores de Jesus de Nazaré praticavam o culto de forma clandestina reunindo-se à noite fora do povo, onde celebravam a palavra.

Uma das grandes perseguições aos cristãos, foi quando Roma ardeu no ano 66 dc e estes foram culpados pelo incêndio da capital do Império.

O Imperador Nero mandou matar muitos cristãos, na arena por animais selvagens, foram queimados, apedrejados…

Filmes com “Quo Vadis”, “Ben Hur” e “Pompeia”, referem a esses massacres e martírios aos cristãos no início da Era de Cristo e a forma como viviam os primeiros cristãos.

A perseguição e martírio aos cristãos duraram cerca de 300 anos, com milhares de cristãos a serem mortos por seguirem a sua Fé.

Essa Fé de martírio que era vista pelos cristãos como a passagem para o Paraíso.

Santos como São Estevão, São Pedro, São Paulo, Santa Águeda, São Bartolomeu, Santa Blandina, Santo Inácio de Antioquia, São Lourenço, Santo Hipólito, São Policarpo, São Sebastião, Santa Perpétua e Santa Felicidade… foram barbaramente assassinados.

No Século IV, Santa Helena, mãe do Imperador Constantino influenciou o seu filho Constantino com a sua fé e através do Édito de Milão, deixou de haver perseguição aos Cristãos.

Comentar