Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Abril 1, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

PSD Castelo Branco contesta nova fórmula para as portagens na A23

PSD Castelo Branco contesta nova fórmula para as portagens na A23
José Lagiosa

O PSD de Castelo Branco contesta, em comunicado, as medidas anunciadas pelo Governo, para diminuição das portagens na A23.

 Para além da data tardia para implementação das reduções, em relação à necessidade da sua implementação que, segundo os sociais democratas, deveria ser imediata, já que vão entrar em vigor em época de férias, logo com um impacto quase nulo.

O PSD alega, igualmente que para os utilizadores locais, o impacto é significativamente reduzido, abrangendo só dois terços de cada mês.

As reduções propostas pelo Governo não levam em linha de consideração quem quer vir até à região que, “como bem sabemos, a tipologia turística de quem nos visita baseia-se numa estadia média de dois a três dias (os chamados “short-breaks”)”, pelo que “quem a utiliza, nunca chega a usufruir de qualquer redução na sua passagem pela A23”.

Os sociais democratas afirmam ainda que a medida “é mais uma proposta de faz-de-conta para desviar a atenção da incapacidade manifestada pelo Governo Socialista de defender o Distrito de Castelo Branco”.

Assim, o PSD defende, no mesmo documento, “a abolição de portagens na A23”.

Para tanto os sociais democratas propõem a “abolição total de portagens para residentes (pessoas e empresas), incentivando a mobilidade regional e para não-residentes, aplicação de um número pré-determinado de viagens gratuitas (10 viagens mensais).

Mas o PSD vai mais longe propondo “a implementação das reduções desde o dia 1 de abril de 2020 (em termos turísticos, existe a oportunidade de valorizar o período das Férias da Páscoa, tradicionalmente forte no nosso Território)”.

Por último sugere a “preparação e discussão de propostas a incluir no Orçamento de Estado para 2021 para a Abolição de Portagens na A23.

Comentar