14.3 C
Castelo Branco
Quinta-feira, Setembro 23, 2021
No menu items!
InícioNacional90% dos Portugueses concordam com a decisão do Presidente da República na...

90% dos Portugueses concordam com a decisão do Presidente da República na declaração do estado de emergência

Embora divididos, 52% dos portugueses consideram que a decisão do PR já deveria ter sido tomada há mais tempo. A pandemia do Covid-19 leva a que 42% dos portugueses se encontrem numa situação de Teletrabalho atualmente e 70% acredita que Portugal vai enfrentar o problema do Coronavírus e das suas limitações durante os próximos 3 meses. O maior receio dos portugueses é sem dúvida a Taxa de Mortalidade do Coronavírus (35%)

A Marktest realizou uma sondagem de opinião, junto da população portuguesa, logo após a comunicação do Presidente da República, ontem, dia 18 de Março, sobre a declaração do estado de emergência nacional, devido à pandemia do Coronavírus.

Da análise dos resultados constata-se que 90% concorda com a decisão do Presidente da República em declarar o estado de emergência.

Quanto ao momento da decisão as opiniões dividem-se: 52% considera que a decisão já deveria ter sido tomada e 42% consideram que foi tomada na altura certa. Apenas 6% consideram que a decisão deveria ser adiada por mais algum tempo.

Quanto às implicações desta decisão na atividade laboral dos portugueses a mesma parece não ter grande impacto no dia a dia. Isto porque 33% vão continuar a exercer a sua atividade nos respetivos locais de trabalho e 30% já tinham iniciado recentemente a atividade em teletrabalho.

Para os outros 27%, esta decisão terá impacto, já que 12% passam agora a exercer a atividade por via do Teletrabalho e 14% vão para casa deixando efetivamente de trabalhar.

Significa isso, que a população adulta em situação de teletrabalho atualmente é de 42%.

À pergunta “Durante quanto tempo mais Portugal vai enfrentar o problema do Coronavírus e as limitações associadas ao mesmo?”, os portugueses estão conscientes do tempo que as circunstâncias que estamos a viver podem durar: para 31% pelo menos 2 a 3 meses e para 34% entre 1 a 2 meses.

Por último, assinalar que o TOP 3 dos maiores receios dos portugueses são de facto a Taxa de Mortalidade do vírus, a Falência da Economia Nacional e do próprio SNS.

Nota Técnica:

A presente sondagem foi realizada pela Marktest, através de CAWI (Computer Assisted Web Intereview), junto de uma amostra de 501 inquiridos, com mais de 18 anos , residentes em Portugal Continental .

Os resultados do estudo foram ponderados e extrapolados para o universo em estudo ( 8.250.000) .

A recolha da informação decorreu entre as 21h00 do dia 18 de Março e as 16h00 do dia 19 de Março de 2020.

A selecção dos entrevistados, fez-se com recurso ao Access Panel da Marktest.

A partir deste Access Painel, procedemos a extrações aleatórias de potenciais entrevistados, de acordo com as regras definidas ao nível da seleção amostral ( método de quotas pelas varíaveis, género, idade e região Marktest) .

Para garantir a segurança da comunicação online, a Marktest utiliza um protocolo de segurança que permite salvaguardar a leitura e interceção, por terceiros, dos dados transmitidos no momento do preenchimento do inquérito.

O Access Panel da Marktest encontra-se devidamente registado na C.N.P.D. e a Marktest assegura um controlo rigoroso de qualidade e veracidade da informação registada pelos internautas inscritos no nosso Access Panel, bem como na gestão da selecção dos mesmos para as entrevistas que realizamos.

Desde o dia 25 de Maio de 2018, temos em vigôr o RGPD ( Politica de Privacidade Marktest – http://www.marktest.com/wap/a/q/id~106.aspx) .

De assinalar ainda que a cumprimos integralmente com “28 Questions to Help Buyers of Online Samples” – ESOMAR.

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: