Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Junho 1, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

Ponto de Vista… por António Justo

Ponto de Vista… por António Justo
José Lagiosa

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS) METEU O PÉ NA POÇA

Trump acusa a OMS de negligência e partidarismo

O presidente Trump, em tempos de campanha eleitoral, puxa dos trunfos que a Organização Mundial da Saúde (OMS) lhe deu.

O Presidente suspendeu (13.04) a verba destinada à (OMS) de que os USA são os maiores financiadores.

António Justo

Argumenta que vai suspender o pagamento à organização por 60 a 90 dias para durante este tempo examinar o papel da OMS no ” mal tratamento e disfarce da propagação do coronavírus”.

Para Trump “uma das decisões mais perigosas e dispendiosas tomadas pela OMS foi a deliberação desastrosa de se opor às restrições de viagem da China e de outros países” que ele tinha decretado nos finais de Janeiro, ao proibir a entrada nos USA a viajantes estrangeiros que viessem da China.

Para Trump, a OMS ao ter contrariado tal recomendação, tornou-se cúmplice contribuindo para que a expansão do vírus acelerasse em todo o mundo.

Acusa também a OMS de não ter examinado criticamente as informações de Pequim chegando até a louvar a sua “Transparência”.

De facto, a OMS ignorou as informações iniciais de Taiwan de que o vírus se transmite de pessoa para pessoa e além disso a OMS tomou partido político pela China louvando-a pela sua “transparência” quando a China tinha encoberto, durante um mês, a gravidade do vírus.

A OMS declarou, em Março, o coronavírus-19 como pandemia.

Foi crassa a posição da organização da ONU revelando-se como erro político ao tomar partido pela China contra Taiwan e por se ter colocado contra o encerramento das fronteiras, ao considerar que a China era um financiador importante da organização e por ser um investidor relevante em África.

A atenção jornalística e consequentemente popular tem-se centrado no Coronavirus e nas decisões dos governos, deixando assim as querelas do negócio político de dominar a cena pública.

Uma vez que os sistemas de saúde estejam preparados para darem resposta aos contaminados pelo vírus passar-se-á a ter, no palco da opinião pública, as lutas da economia, da política e correspondentes ideologias.

A crise atual questiona não só o capitalismo globalista como também o sistema comunista chinês.

Tudo já leva a crer que a discussão se retomará em termos de extremismos sejam eles capitalistas ou socialistas.

Tanto o mal como o bem são dois polos e a vida acontece entre eles!

Também uma ponte assenta em extremos mas só assim é possível passar-se sobre o abismo que ela ajuda a superar!

Que importa a grandeza dos morros se o que se trata é de passar para o outro lado!

Em caso contrário fomenta-se a guerra.

Porque não procurarmos juntos uma terceira via?

*António da Cunha Duarte Justo
In Pegadas do Tempo, https://antonio-justo.eu/?p=5831

Comentar