Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
       

BeiraNews | Junho 1, 2020

Ir para o Topo

Topo

Sem Comentários

O Mundo à Minha Procura, de Ruben A.

O Mundo à Minha Procura, de Ruben A.
José Lagiosa

Comunidade de Leitores em Casa, 24 a 30 de maio

Para assinalar o centenário do nascimento de Ruben A., Ruben Alfredo Andresen Leitão, que nasceu a 26 de maio de 1920, a Alma Azul escolheu um texto autobiográfico onde Ruben A. descreve a sua chegada a Coimbra e o trabalho da fundação de “Babaouo”, a única República Surrealista de Coimbra, segundo o autor e jovem estudante universitário.

Serão vários os fragmentos da autobiografia que Ruben A. publicou em três volumes, que a Alma Azul destacará para assinalar o centenário de nascimento do autor de “Barbela” e “Kaos”.

Ruben A. com Sophia de Mello Breyner Andresen

Começando pela sua infância no Porto (Ruben Andresen é primo direito de Sophia de Mello Breyner Andresen, pelo que partilharam a infância na Quinta do Campo Alegre), mas também a adolescência e juventude, onde conviveu com Agostinho da Silva, seu professor e de quem ficou admirador da sua ética e da sua enorme capacidade intelectual, até à Coimbra do seu primeiro grande amor e de Miguel Torga, passando por viagens que lhe abriram novos horizontes, como à Áustria, à Alemanha e à Hungria, em 1938.

Será uma Comunidade especial, com um trabalho de homenagem a Ruben A. e que se traduzirá na seleção dos melhores momentos de “O Mundo à Minha Procura” que a Alma Azul enviará aos Leitores que se inscreverem na sua Comunidade de Leitura e Partilha de Comentários em Rede até às 23 horas, do dia 23 de maio, sábado.

As inscrições (gratuitas) devem ser feitas através da morada eletrónica: [email protected] .

Ruben A. faleceu no dia 26 de setembro de 1975, na cidade de Londres, vítima de um enfarte de miocárdio.

Da sua obra, destacamos ainda os estudos dedicados ao Rei D. Pedro V, que Ruben A. considerava “o primeiro homem moderno que existiu em Portugal” e a sua passagem pela Direcção-Geral dos Assuntos Culturais do Ministério da Educação e Cultura, como seu director-geral em 1974 e 1975.

Comentar