17.2 C
Castelo Branco
Quarta-feira, Setembro 30, 2020
No menu items!
Início Regional BE denuncia a falta de transportes públicos em Verdelhos

BE denuncia a falta de transportes públicos em Verdelhos

O acesso à saúde, educação, emprego, entre outros, é um direito de toda a população.

Mas, de uma forma geral e mais especificamente no concelho da Covilhã, não são criadas as condições para as deslocações das pessoas que não podem ou não têm meios de transporte próprio, ficando, deste modo impedidas de aceder aos serviços essenciais. 

O transporte público deve ser visto não só como um direito da população, mas também, como um meio para melhorar a qualidade de vida das pessoas e valorizar a região em que se insere.

Constata-se que a disponibilização de transportes em meios rurais do concelho da Covilhã é um fator essencial de equidade social e de combate ao isolamento e desertificação destas freguesias.

Todavia, uma vez que a população é pouca e dispersa, existe uma procura muito baixa dos transportes públicos, o que o torna um negócio pouco atrativo para o operador, originando diminuição da oferta.

Antes de ser declarado o Estado de Emergência em Portugal, Verdelhos tinha três autocarros: o primeiro saía às 7h com destino a Belmonte, quem queria ir para a Covilhã teria que mudar de autocarro no Teixoso, o segundo partia às 7:40h com destino à Covilhã (este apenas se realiza durante o tempo de aulas) e o terceiro que saia às 13h com destino à Covilhã.

Nessa altura partiam da Covilhã para Verdelhos três autocarros: o primeiro às 11h, o segundo às 17h e o terceiro às 18h.

Atualmente, somente se realiza o horário que sai de Verdelhos às 7h com destino a Belmonte com a necessária mudança de autocarro no Teixoso para quem precisa de ir para a Covilhã.

Como as aulas ainda não começaram, o autocarro que saia de Verdelhos, às 7:40h com destino à Covilhã e o autocarro com partida da Covilhã às 17h ainda não se realiza.

O BE refere que “aguardamos que com o início das aulas este serviço seja reposto”.

O autocarro com partida da Covilhã às 11h e destino a Verdelhos, com partida de Verdelhos às 13h e destino à Covilhã não voltou a ser reposto, são dois horários que se adequam na perfeição para quem precisava de se deslocar á Covilhã, sem necessidade de passar o dia inteiro fora para a resolução de qualquer assunto, que não demora mais de meia hora a ser resolvido.

Mas devido a falta de transportes públicos ou na impossibilidade financeira para alugar um táxi, essas pessoas têm de passar o dia todo fora, (um pensionista para ir buscar a sua reforma é apenas um de muitos exemplos).

É certo que este autocarro tinha poucos passageiros, havendo dias que só tinha passageiros até ao Teixoso ou a partir do Teixoso, motivo pelo qual o operador responsável por este autocarro ainda não o ter reposto.

Os transportes públicos não podem ser encarados numa perspetiva lucrativa, em prejuízo das populações mais necessitadas.

“É impreterível que a Câmara Municipal da Covilhã implemente medidas que possibilitem a reposição deste autocarro que muita falta faz à população de Verdelhos, essencialmente, à população mais idosa, assim como a criação de uma rede de transportes abrangente a toda a população do concelho e das freguesias rurais e que permita responder às suas necessidades”, reclama o BE.

Em Verdelhos, os transportes públicos têm uma adesão baixa, pelo facto de quase não existem ou os que existem não se adequam à maioria dos diferentes horários.

“Uma realidade que poderia ser bem diferente com horários de transportes públicos adequada”, conclui o Bloco de Esquerda.

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

Covid-19: Santa Clara – Gil Vicente vai ser o primeiro jogo da I Liga com público

O jogo Santa Clara – Gil Vicente, da terceira jornada da I Liga de futebol, vai ter uma assistência de 1.000 pessoas,...

Museu de Arte e Arquitetura gratuito no fim de semana e feriado pelo 4.º aniversário

Visitas guiadas a exposições, música, teatro, conversas e oficinas compõem a programação dos três dias de celebrações do 4.º aniversário do Museu...

João Morgado vence 13.ª edição do Prémio Nacional de Conto Manuel da Fonseca com a obra “Contos de Macau”

Câmara Municipal de Santiago do Cacém  Já é conhecida a obra vencedora da 13.ª Edição do Prémio Nacional...

Escolas Doutorais, pandemia e orçamento estiveram em discussão no Conselho Geral da UC

O orçamento da Universidade de Coimbra (UC) e dos Serviços de Ação Social da Universidade de Coimbra (SASUC), o impacto da pandemia...

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: